in

Bolsonaro aparece de surpresa em última sessão de Dias Toffoli à frente do STF

O presidente da República, Jair Bolsonaro, foi ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) na tarde desta quarta-feira (9) participar da última sessão do ministro Dias Toffoli como presidente da Corte. Bolsonaro apareceu de surpresa. Não estava previsto na agenda oficial.

O ministro Alexandre de Moraes prestava homenagem a Toffoli na hora em que o chefe do Executivo chegou ao plenário. Ao discursar, Bolsonaro disse que estava emocionado em ocupar um lugar de destaque a direita do presidente do STF. Classificou a Corte como “um verdadeiro santuário para a Justiça brasileira”.

“Até mesmo a Bíblia nos diz como é difícil a missão de julgar. Que Deus ilumine cada um dos senhores e das senhoras. Cheguei aqui pelo voto. Os senhores chegaram pela indicação de um presidente da República. Peço a Deus que me ilumine quando a oportunidade se fizer presente pela idade de indicar alguém que possa realmente cooperar com esta Casa”.

“Dizer-lhe que muitos momentos, quando o chefe do Executivo procurou o STF por muitas vez em decisões monocráticas, vossa excelência muito bem nos atendeu. Em outros momentos, até nos surpreendeu com a sua capacidade de se antecipar a problemas e já apresentar a solução antes mesmo que o procurássemos”, acrescentou Bolsonaro.

Parlamentares destacam diálogo como marca da gestão de Dias Toffoli à frente do STF

O ministro Dias Toffoli participou nesta quarta-feira (9) de sessão solene no Congresso Nacional em homenagem ao biênio em que esteve à frente da Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). Além dos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, Toffoli ouviu declarações que exaltaram sua abertura ao diálogo e sua coragem para pautar temas polêmicos e importantes para o desenvolvimento do país. Também recebeu a medalha da Ordem do Mérito Grã-Cruz pelos serviços prestados à nação ao garantir o equilíbrio entre os Poderes e a defesa da Constituição Federal.

“Os Poderes da República estão conectados pela própria razão de ser do Estado, que é a promoção do bem comum. Para isso, precisam sentar-se à mesa e dialogar, papel que se exerce com independência, seguindo as regras do jogo democrático”, ressaltou Toffoli, ao questionar a postura de quem promove divergências e evita o debate. O ministro agradeceu pela pronta resposta dos líderes da Câmara e do Senado em momentos difíceis para a história brasileira, como o enfrentamento à pandemia da Covid-19 e os ataques às instituições democráticas.

“O diálogo constante foi um marca registrada da Presidência do ministro Toffoli, que contribuiu para a reafirmação de direitos e garantias fundamentais e, principalmente, para a consolidação do Estado Democrático de Direito”, destacou Davi Alcolumbre. Para o senador, Toffoli foi destemido ao decidir pela instalação do inquérito contra as fake news no Supremo.

Para Rodrigo Maia, a principal marca da gestão de Toffoli é a “coragem e a altivez para defender as instituições daqueles que, abusando de seus direitos, procuram constranger, ameaçar e, por fim, calar os Poderes”. O presidente da Câmara também afirmou o alinhamento do Judiciário e do Legislativo no sentido de modernizar o serviço público e adaptar os trabalhos às medidas de isolamento social com eficácia e produtividade. Maia ainda lembrou que participou do primeiro compromisso de Dias Toffoli como presidente do Supremo para debater o uso de recursos do Fundo Partidário para campanhas eleitorais de candidatas femininas, entre outros assuntos.

Jojo Todynho dispensa biquíni e toma banho ousado em “A Fazenda”

Pesquisa Mostra quadro indefinido para prefeito em Grossos .