in

A IMPRESSIONANTE HISTÓRIA DE GREG PICKERING, O HOMEM QUE SOBREVIVEU A DOIS ATAQUES DE TUBARÕES

O australiano Greg Pickering traz em sua pele marcas que ficarão com ele para sempre, elas o lembram das duas vezes que o mergulhador foi atacado por tubarões.

No ano de 1970, Greg iniciou sua carreira na caça marinha e em mergulho livre. No final da década de 1980 ele já era conhecido por ser o campeão de caça submarina no território australiano.

Primeiro ataque

Em 2004, o mergulhador estava em uma missão nas águas de Cervantes, ao norte de Perth, na Austrália, quando foi atacado pela primeira vez pelo animal. Na ocasião, um tubarão agarrou a perna de Greg.

O homem foi retirado do mar às pressas e apesar dos grandes ferimentos, conseguiu se recuperar. Certo de que teve uma segunda chance, ele decidiu que não era hora de abandonar sua profissão e o amor que nutria pelas águas. Por isso, o australiano retornou ao mar depois de três meses.

Nesse período, o mergulhador continuou trabalhando com o que gostava e era conhecido com um dos melhores da Austrália. Até que nove anos depois, foi surpreendido novamente por um tubarão. Contudo, dessa vez, os estragos seriam maiores.

A segunda vez

No ano de 2013, Greg mergulhava em Poison Creek, um lugar remoto a 160 quilômetros da cidade de Esperance, na Austrália. Na ocasião, o homem estava caçando abalones a 15 metros de profundidade, quando foi surpreendido por um tubarão.

Em entrevistas para a mídia local, o homem afirmou que tudo aconteceu de maneira rápida, ele contou que apenas sentiu um impacto em sua cabeça e ouviu barulhos de dentes batendo em seus ossos. “Eu pensei: ‘provavelmente é um tubarão’. Mas eu simplesmente não vi, eu ouvi o ataque”, contou Pickering, conforme revelado pelo portal Perth Now.

Contudo, por algum motivo desconhecido, o animal decidiu soltar sua vítima “Ele [o tubarão] parou de repente e me soltou, então, definitivamente, eu tive outra chance”, afirmou Greg.

Greg sendo transferido para o hospital / Crédito: Divulgação / Youtube / 9News Perth / 13 de outubro de 2013

Para voltar a superfície, o mergulhador descreveu que precisou manter a calma. O homem usou seus 40 anos de experiência em mergulho para prender a respiração e conseguir submergir de maneira bem lenta.

Inicialmente, foi atendido por seus colegas e por pessoas que estavam na remota praia onde o ataque aconteceu. Pickering precisou continuar sendo forte para enfrentar o longo caminho até o hospital mais próximo e mais 10 horas de cirurgia que ele teve que ser submetido. O sobrevivente sofreu cortes profundos na cabeça, rosto, ombros e costas.

Após o segundo ataque, o diretor-geral do Departamento de Pesca da Austrália, Stuart Smith, divulgou uma ordem para que o animal envolvido no ocorrido fosse morto. Contudo, o pedido foi cancelado já que o tubarão não foi avistado novamente.

Pickering passou a realizar palestras para alertar sobre os ataques de tubarão, além de pedir para que medidas de segurança sejam tomadas, a fim de evitar que outras também passem pela sua traumática experiência.

Em depoimento ao portal Shark Eyes Australia, o mergulhador afirmou que mesmo com o grande sofrimento e trauma, ele continua um apaixonado pelo mar: “Acho que ver um tubarão primeiro ajuda a prevenir ataques […] Ainda gosto de mergulhar e sempre me lembro das coisas maravilhosas que vi na água. Foi realmente um privilégio ter passado a maior parte da minha vida no mar”

Governo entrega proposta de parceria para execução do Projeto Seridó

Rogério Marinho lança nesta sexta (16) licitação para chegada das águas do São Francisco ao RN