Allan dos Santos provoca Fábio Faria: ‘Odebrecht nunca me apelidou de nada’



O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos fez provocações ao ministro das Comunicações, Fábio Faria, dias após os dois aparecerem lado a lado em um evento evangélico nos Estados Unidos. O jornalista, foragido da PF (Polícia Federal) há mais de dois meses, disse que o ministro não compreende “a diferença entre ser um jornalista e um assessor de imprensa”.

“Elogio o que precisa de elogios e critico o que considero erro. Há pessoas que não compreendem a diferença entre ser um jornalista e um assessor de imprensa. O Fábio Farias é uma delas. Se ele precisa e deseja um poodle para chamar de seu, ao menos reconhece que não sou um pet”, escreveu no Telegram.

O blogueiro também falou que o empreiteiro Marcelo Odebrecht nunca o “apelidou de nada”. A fala faz referência às supostas relações entre a empresa e o ministro Fábio Faria, que teria recebido propinas da Odebrecht na eleição de 2010. De acordo com o relatório, ele recebeu os codinomes de ‘Garanhão’ e ‘Bonitinho’. Já ao pai dele, o ex-governador potiguar Robinson Faria (PSD), é atribuída a alcunha de ‘Bonitão’.

O caso, foi arquivado em fevereiro de 2019, a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República). Mas, no ano passado, o órgão pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que encaminhe o inquérito à Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte.

Alguns minutos após a primeira mensagem sobre Fábio Faria, Allan fez outra publicação, dizendo não confiar no ministro.

“Nem Bolsonaro confia no Mourão e vocês querem que eu confie em Fábio Farias porque ele ‘está no governo’? Isso é piada, né?”, escreveu.

Faria também falou de Allan dos Santos
O blogueiro e o ministro estiveram juntos em uma conferência da igreja Lagoinha Orlando Church, levada aos EUA pelo pastor evangélico e cantor gospel André Valadão. Ele e a irmã, a também pastora Ana Paula Valadão, já foram acionados judicialmente por conta de declarações homofóbicas.

Ao UOL, o ministro afirmou que não sabia que Allan dos Santos estaria na conferência e que “não teria comparecido” se soubesse.

“Fui convidado para discursar num evento de um pastor de uma igreja que eu e minha família frequentamos quando estamos em Orlando. Não havia nenhuma indicação que entre os presentes estaria alguém com problemas com a Justiça brasileira”, informou Faria por meio de nota.