Após Audiência de custódia Juiz nega prisão Domiciliar a Mulher que atropelou e matou criança de 10 anos na cidade de Acari.



Alexsandra Oliveira segue presa na Penitenciária Estadual do Seridó
A alagoana, Alexsandra Oliveira de Araújo, de 30 anos, que foi presa depois de atropelar e matar o garoto Natan Pablo Félix da Costa, de 10 anos, no final da tarde de domingo (13), na estrada que liga Acari/RN ao povoado Gargalheiras, passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Pedro Paulo Falcão Júnior. A audiência aconteceu na tarde desta segunda-feira (14), no Fórum Amaro Cavalcante, em Caicó.

O advogado Ariolan Fernandes, que defende Alexsandra, pediu que fosse decretada a prisão domiciliar sob o argumento de que a mesma cuida de filhos menores.

O Representante do Ministério Público opinou pela homologação do flagrante e pela decretação da prisão preventiva.

O Blog Sidney Silva teve acesso a decisão. Nela, o magistrado destaca que “não há dúvidas de que a prisão é indispensável para garantir a ordem pública em virtude da gravidade do fato ocorrido, tendo a flagranteada assumido o risco quando decidiu dirigir em velocidade incompatível e uso de bebida alcóolica, gerando a morte de uma criança. Diga-se de passagem, o crime apresenta GRAVIDADE EM CONCRETO. O fato ultrapassa todos os limites de uma sociedade ordeira e nenhuma medida cautelar diversa da prisão será suficiente para surtir efeito”.

Na decisão, o juiz homologou o flagrante, negou a prisão domiciliar e decretou a prisão preventiva.

O advogado Ariolan Fernandes, disse ao Blog Sidney Silva que vai fazer o mesmo requerimento, só que, ao juízo natural da causa, que está em Acari/RN. “Vamos tentar a revogação da prisão preventiva ou sua conversão em domiciliar, pelo fato de ser mãe de 3 filhos que dependem exclusivamente dela”.

Fonte /Sidney Silva