Bolsonaro diz que Kajuru não pediu para gravar ligação: ‘Não vou discutir com maluco’



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou o senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) de “maluco”, ao voltar a dizer que ele não pediu autorização para gravar uma ligação entre eles. Durante a live semanal na noite desta quinta-feira (15), o mandatário afirmou que sabia que tinha sido gravado, mas que não se pronunciou no momento.

“O senador Kajuru me ligou, foi uma conversa que eu teria com qualquer senador. Agora, o fato de gravar… No dia seguinte, ele me ligou novamente e falou que tinha cortado partes agressivas ao senador [Randolfe Rodrigues]. Fiquei quieto, quando ele falou aquilo, vi que o cara me gravou e iria divulgar. Não vou discutir com maluco. Ele não pediu autorização para gravar uma ligação comigo”, disse.

No domingo (11), Kajuru vazou o áudio da ligação onde o Jair Bolsonaro dizia temer um relatório “sacana” da CPI do Senado que investigará ações do governo federal no combate à Covid-19. Na chamada, o presidente pede ao senador que inclua governadores e prefeitos na investigação e sugere novamente que seja pautado impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na segunda-feira (12), Bolsonaro criticou Kajuru pela divulgação do áudio, e o senador se irritou com o presidente. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, ele disse que o mandatário poderia ter sido contra a divulgação, mas não foi, e resolveu se pronunciar na segunda.

“Eu vejo que ela [a reclamação] só aconteceu hoje, porque alguém, como o Mourão, ou sei lá quem chegou nele e falou que ele não deveria ter agido como agiu na conversa comigo. Aí ele mudou de opinião. Porque, se ele estivesse realmente chateado, ele poderia ter ligado para mim ontem, ou então no nosso telefonema às 12h40, ter falado: ‘Não, Kajuru, não põe isso no ar, não’”, afirmou.