Bolsonaro lamenta beijo gay e diz que PT promovia sexualização em escolas

Presidente Jair Bolsonaro com indios durante cerimonia de hastiamento da bandeira nacional em frente | Sérgio Lima/Poder360 18.02.2020

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 3ª feira (27.abr.2021) que o ex-ministro da Educação Fernando Haddad e os governos do PT deixaram “barbaridades” de herança para o Brasil. O chefe do Executivo afirmou que as gestões anteriores promoviam o que chamou de “doutrinação” nas escolas públicas.

“Alguns querem que a gente resolva imediatamente, não dá para resolver. Fazemos o possível. Você não vê mais aquela doutrinação, aquela sexualização na escola. Praticamente zerou no nosso governo”, disse.

A apoiadores no Palácio da Alvorada, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio do Lula da Silva foi a um evento em que 2 homens se beijaram. Bolsonaro chamou a cena de “dantesca”.

Receba a newsletter do Poder360
seu e-mail

“Tem uma cena dantesca: num evento, tá o Lula, acho que a Dilma, o Haddad atrás, Celso Amorim e 2 homens se beijando, mas de língua. Parecia aqueles casais apaixonados do Titanic, coisa inacreditável. Cada um vai fazer amor, ser feliz como bem entender. Agora, aquela cena… Um presidente da República sorrindo, de deboche, como se fosse uma coisa mais linda do mundo”, declarou.

Bolsonaro se refere a um ato de janeiro de 2018 de que o então pré-candidato Lula participou em São Paulo. Nas fotos do encontro, a presidente da sigla, Gleisi Hoffman, aparece ao lado do petista. Não foi possível ver a ex-presidente Dilma Rousseff e os ex-ministros Fernando Haddad e Celso Amorim.

O presidente continuou comentando sobre o assunto com seus apoiadores: “Cada um vai ser feliz como bem entender, entre 4 paredes, na sua intimidade. Agora, publicamente, nem um casal hétero pega bem fazer isso daí. A gente não faz isso. Eu sou casado e jamais farei isso em público, nem quando conhecia a dona Michelle. Agora, o que acontece lá dentro do Alvorada, isso aí não interessa para ninguém”, disse.