Bolsonaro pede ‘prazo maior’ ao TSE para apresentar provas sobre fraude em eleições



Após visita ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, nesta segunda-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro conversou com a imprensa na saída da Corte e afirmou que respondeu à solicitação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta tarde e pediu um “prazo maior” para apresentar as provas sobre as acusações de fraude nas eleições de 2014 e 2018.

Segundo Bolsonaro, a pessoa que detém as provas está infectada com a Covid-19 e não poderá se apresentar no momento, devido ao tratamento. No entanto, ele prometeu que convocará a imprensa assim que sua fonte puder falar.

“Se essa pessoa melhorar, ela virá. E eu convidarei a imprensa e transmitirei em minhas mídias sociais a apresentação dele. É algo realmente difícil de não acreditar na possibilidade de fraude. O TSE fez um pedido para mim, para apresentar as provas, e eu assinai há pouco a resposta, pedindo um prazo um pouquinho maior para que essa pessoa, que teve coragem agora, sabendo dos riscos, de apresentar. Ele me apresentou há seis meses. É um especialista, não é uma pessoa como nós”, afirmou Bolsonaro.

Na última semana, o TSE, que é presidido pelo ministro Luís Roberto Barroso, o qual o Bolsonaro já demonstrou ter um problema pessoal, devido a divergências sobre o voto impresso, rebateu as acusações do presidente sobre as eleições de 2014, classificando-as como “levianas e ofensiva a todos”.

Na ocasião, Bolsonaro falou a apoiadores referente à apuração das eleições de 2014, onde concorreram no segundo turno a ex-presidente Dilma (PT) e o deputado federal Aécio Neves, refutando o sistema de apuração que deu vitória para a candidata petista à época.

No mesmo dia, o Corregedor-Geral Eleitoral oficiou Bolsonaro para que apresente as supostas provas de fraude que teriam ocorrido nas eleições de 2018, que ele também alega terem sido fraudadas.