O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anda desconfiado sobre um possível complô que estaria se articulando para derrubá-lo do governo.

Ele afirma estar certo de que o grupo é formado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre Moraes, e pelo governador de São Paulo, João Doria.

Bolsonaro já manifestou a desconfiança a mais de um interlocutor, o que fez com quem a conversa chegasse aos ouvidos de ministros de tribunais superiores.

Uma das estratégias da conspiração apontada por ele seria desgastar seu governo para tentar o impeachment, sob comando de Maia. A outra seria cassá-lo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), hoje integrado por Moraes.

O ministro do Supremo, que já foi do PSDB, seria aliado de Doria, numa conspiração paulista para derrubar Bolsonaro e facilitar a chegada do governador à Presidência em 2022.

Em meio aos temores, Bolsonaro conversou recentemente com Moraes, Dias Toffoli e Gilmar Mendes, do STF. as informações são da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.