Uma grande história de superação – como a de tantos brasileiros – somada a um desejo de fazer da própria experiência de vida a base de um trabalho voltado àqueles que enfrentam, igual a ele, mais obstáculos que o que seria razoável caso suas próprias barreiras físicas fossem as únicas. Vítima de violência urbana (foi confundido com outra pessoa na saída da escola e tomou um tiro que o deixou paraplégico, 19 anos atrás), Eduardo Gomes passou a lutar contra todas as barreiras impostas pela nova condição física e se tornou um vencedor. No esporte e na vida.
Campeão paralímpico nas modalidades de natação e basquete em cadeira de rodas, medalhas, troféus e reconhecimento dos potiguares. Representou o Brasil nos jogos parapan-americanos de natação, no pré-mundial e no mundial de natação. É, ainda recordista brasileiro de natação no estilo borboleta nos 50 mteros.
Ex-Presidente da Sociedade Amigos do Deficiente Físico do Rio Grande do Norte (Sadef-RN) e presidente do Clube de Basquete Paralímpico do Rio Grande do Norte e da Comissão de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, ele é formado em Direito, Ciências Contábeis e Letras.
Decidiu colocar toda esta história e experiência de vida a serviço da causa que o fez apaixonar-se. “Como portador de uma limitação física, conheço bem as lutas e bandeiras que temos no dia a dia da sociedade. Quero chegar à Câmara de Natal para ser uma voz ativa e altiva na defesa do que já conquistamos e do que ainda precisamos conquistar”, diz o postulante a uma vaga no plenário do Palácio Padre Miguelinho.
“Infelizmente não temos uma cidade acessível, e isso gera muitos transtornos e dificuldades para as pessoas com deficiência. Na verdade, o que queremos é respeito e sermos tratados como cidadãos. Entretanto, ser candidato enquanto atleta paralímpico e ativista na luta pela pessoa com deficiência é um grande desafio, mas me sinto pronto para ajudar a solucionar os problemas dos bairros de Natal, e sobretudo, ser um representante ativo na luta da pessoa com deficiência”, diz ele.