Caso Marília Mendonça: IML investiga se piloto sofreu mal súbito antes da queda do avião


O Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Caratinga informou que deve divulgar o laudo final sobre a causa da morte da cantora da Marília Mendonça e de outras quatro pessoas em um prazo de 10 dias. O documento deve atestar que todas as vítimas sofreram “politraumatismo em órgãos vitais”.

Ao jornal O Globo, o médico legista Pedro Coelho disse que o laudo indica que todos os passageiros morreram instantaneamente após a queda do avião bimotor.

“É preciso descartar ou confirmar, por exemplo, se o piloto ou o copiloto passaram mal durante o voo, se tiveram ou não um mal súbito. Todo tipo de detalhe precisa ser analisado”, explicou.

Ainda conforme a publicação, a avaliação final ainda só não foi divulgada porque é preciso esperar exames complementares de análises cardíacas e neurológicas do piloto, Geraldo Medeiros, e do copiloto, Tarciso Pessoa Viana, para descartar qualquer mal súbito.