Ceará tem primeira morte pela variante Delta do coronavírus; homem não estava vacinado.


A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) registra o primeiro óbito de paciente infectado com a variante Delta do coronavírus no Estado.

O homem de 45 anos, residente de Fortaleza, estava internado em hospital particular desde o dia 6 de agosto e faleceu no último domingo (29).

Ele não havia tomado a vacina contra a Covid-19 e apresentava obesidade.

Dos 96 casos identificados com a cepa indiana do coronavírus no Ceará, 28 (29%) foram vacinados com pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19; destes, 16 completaram o esquema vacinal.

“Este dado serve de alerta para a população se conscientizar da importância da vacinação como a principal arma para lutarmos contra essa pandemia.

Quem toma a vacina protege a si e à coletividade. Outra medida importante com a chegada da variante Delta no Estado, inclusive com circulação comunitária, é o reforço do protocolo sanitário, com uso de máscara, álcool 70%, higiene frequente das mãos, além de evitar aglomeração.

A Sesa e os municípios reforçam as barreiras sanitárias nos aeroportos e rodoviárias.

Todos têm que fazer sua parte, tanto o poder público como a população”, destaca o secretário da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha.

A Sesa informa que o Estado soma 96 casos identificados da variante Delta do coronavírus, sendo 51 registrados em mulheres e 45, em homens, com predominância na faixa etária de 20 a 39 anos.

Alguns pacientes estiveram ou estão internados e todos são rastreados e monitorados pela Vigilância Epidemiológica da pasta.

Do total de casos, 25 foram identificados por meio do Centro de Testagem Covid-19 para Viajantes, instalado no Aeroporto de Fortaleza – Pinto Martins.

Os outros 71 foram confirmados pela Vigilância estadual ou por amostras encaminhadas à Rede Genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Ceará por unidades de saúde ou municípios.

No rastreamento, 26 relataram não ter histórico recente de viagens ou contato com viajantes, confirmando a transmissão comunitária da variante Delta no Ceará.

Dos casos importados, o Rio de Janeiro é o estado de procedência com maior incidência, com cerca de 50% das amostras.

Os municípios cearenses onde residem pacientes com identificação da variante Delta são: Aquiraz, Beberibe, Cascavel, Caucaia, Choró, Crateús, Eusébio, Fortaleza, Hidrolândia, Icó, Ipaporanga, Ipueiras, Irauçuba, Itapipoca, Jaguaretama, Maracanaú, Monsenhor Tabosa, Nova Russas, Paraipaba, Poranga, Quixeramobim, São Gonçalo do Amarante, Sobral e Tauá, além de Brasília (DF), Maricá (RJ), Nova Friburgo (RJ), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

Fonte: Portal Grande Ponto