Cícero Martins aceita bastão da oposição em Natal



Cícero Martins, o “zero quatro” do presidente Bolsonaro

Ele é professor de biologia e dentista. Duas profissões que exigem extremo equilíbrio e mansidão. Pois é, Cícero é o inverso disso. É o mais inquieto vereador de todos os tempos.

Cícero Martins vem com tudo para conquistar a posição central da oposição ao atual governo.

Cícero, quase que semanalmente nos presenteia com uma performance de se aplaudir de pé. Ele desce o verbo na “lata” incoerente de Fernando Lucena (PT) ou de qualquer outro que atravesse o seu caminho (do lado direito).

Cícero é claramente um dos parlamentares que mais têm posição. É claro e nítido seu posicionamento alinhado com a direita que grita para ser ouvida. Martins é o “Bolsonaro Potiguar”.

Fez “arminha” ontem e faz hoje. Sustenta a posição e deve herdar os votos de Bolsonaro.

Reclamei outro dia sobre os principais nomes postos que pretendem disputar a prefeitura de Natal. Kelps, Azevedo, Hermano e o PT, nenhum desses têm enfrentado Álvaro de frente e com a força necessária para se colocarem como opção para o eleitor que não aguenta a estagnação do governo do MDB do Seridó.

Soube de rumores que Cícero está orquestrando uma junção de partidos e nomes que pode fazer um estrago nos sonhos de Álvaro de renovar o mandato de prefeito por mais quatro anos.

Eduardo Bolsonaro vem em fevereiro para receber o título de cidadão natalense. Briga feia para aprovar.

Anotem: Coronel Azevedo, General Girão, Capitão Styvenson, Albert Dickson e Antônio Jácome. A nata da direita. Militares e pastores juntos, aí sim, teríamos um verdadeiro arsenal bíblico-militar.

Duvidam da força da igreja evangélica? Ou da força dos militares somados aos agentes da segurança pública?

Aguardem o dia 13 de fevereiro. O filho “zero 03” de Bolsonaro vem à Natal e deve lançar o nome de Cícero para disputar a cadeira de comando do palácio Felipe Camarão. Se deu o “Bozo” lá, por que não Cícero cá?

Cícero Bolsonaro Martins, o zero quatro do presidente Bolsonaro

Blog do Cyrilo