CNM refuta fala do presidente da República sobre enfrentamento da pandemia por prefeitos

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) rebateu as críticas do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em relação às medidas adotadas por prefeitos no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

A entidade destacou que “as ações de restrição de circulação e atividades econômicas adotadas pelos gestores locais salvaram milhares de vidas no Brasil, apesar da postura contrária do chefe do Executivo federal”.

A CNM também lembrou que o Brasil já perdeu mais de 584 mil vidas em decorrência das coronavírus. E alertou que a “ação de prefeitos e prefeitas, embasada pela Constituição e reforçada em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), foi determinante para que esse quadro não fosse ainda mais grave, já que não houve a coordenação nacional necessária para o enfrentamento dessa crise mundial e que transcende o planejamento local”.

A entidade apontou ainda que os “Municípios primaram por medidas que tomaram por base o cunho científico, e não posicionamentos políticos e eleitoreiros, evitando, com isso, uma verdadeira catástrofe no país”.

Nas manifestações pela Independência no Brasil, na terça-feira (7), o presidente disse que a ação de governadores e prefeitos foi pior do que o vírus e contrária à Constituição Federal.