Comissão da ALRN debate e sugere ações para fomentar turismo no RN


O turismo foi o foco da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte na tarde desta terça-feira (18). Durante a reunião da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Socioeconômico, Meio Ambiente e Turismo, os deputados Coronel Azevedo (PSC) e Francisco do PT receberam representantes do setor e debateram alternativas para fomentar o setor. O turismo educacional foi um dos principal focos da discussão.

Presidente a reunião, o deputado Coronel Azevedo relatou que representantes do setor têm buscado apoio por parte do Poder Público e, inclusive, participaram de reunião para debater possibilidade de apoio aos empresários e empregados da área, que abrange pelo menos 52 atividades.

“Vamos ver ao passar do tempo, em futuro próximo, se as decisões, as providências do Estado para ultrapassar esse período foram satisfatórias. A primeira coisa que os brasileiros disseram que querem fazer após a pandemia é viajar, de acordo com pesquisa da Revista Veja. Temos que manter o assunto na agenda política”, disse Azevedo.

Apesar da importância destacada pelo deputado de se atrair turistas de fora do estado e se fortalecer o setor de eventos,
uma alternativa discutida durante o debate foi a importância de se incentivar o turismo educacional, que é quando grupos de estudantes são levados para conhecer cidades do estado. O assunto foi levantado pelo guia de turismo, professor e estudioso do Turismo Ranny Lopes Galvão. Segundo ele, a modalidade turística tem sido esquecida e poderia contribuir significativamente com a área, principalmente na retomada das atividades.

“Sabemos da importância do turismo de sol e mar, mas não podemos deixar o turismo educacional de lado. Menos de 10% da nossa capacidade turística é explorada e precisamos mudar esse cenário”, disse.

O pensamento foi corroborado por representantes do setor empresarial. Enquanto o presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares (SHBRS), Habib Chalita, relatou as perdas significativas do setor e necessidade de ação para retomada da atividade, o representante da Câmara Empresarial de Turismo do RN da Fecomércio, George Costa, e o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no RN (ABIH-RN), Abdon Gosson, analisaram que o setor está “no chão” e é preciso de uma atuação conjunta para a retomada, principalmente, manutenção das empresas e empregos. Uma alternativa elogiada foi o fomento ao turismo educacional.

“A interiorização abre um grande mercado, para que o orgulho de ser potiguar exista para nossos jovens. O trabalho de base, feito a partir dos nossos estudantes, pode levar nosso turismo do interior a um patamar melhor e que as cidades estejam acostumadas a atender turistas mais exigentes”, disse George costa. “Não tem coisa mais linda do que as rotas educacionais, ver alunos aprendendo e deixando dinheiro naquele destino turístico. Uma viagem tem transporte, hotel, guia, ingresso, restaurante… É um turismo de grupo. Esse turismo tem que ser incentivado, mas precisamos ter nossa infraestrutura”, opinou Abdon Gosson.

Representante o Governo do Estado, a subsecretária de Turismo do Rio Grande do Norte, Solange Portela, listou algumas das ações tomadas pelo Executivo para ajudar o setor. Mesmo admitindo que as medidas não foram suficientes, a representante do Executivo disse que, no o momento econômico, o Estado não poderia fazer mais. “Temos ciência de que o setor precisa de mais, mas há momentos que fazemos aquilo que é possível. A questão de saúde tem sido prioritária, não que o turismo não seja, mas a questão da saúde é gritante”, disse.

Já sobre o Turismo educacional, Solange Portela relembrou que as visitas escolares já foram constantes nas escolas privadas, que tinham cidades como Martins, Macau e outras do Seridó como destinos constantes. “Turismo pedagógico era uma ação bem organizada pelas escolas particulares e agências de turismo”, disse, lamentando a impossibilidade dessa modalidade de turismo com mais constância na rede pública. Ela, porém, disse que é preciso fomentar a atividade junto às escolas que têm alunos com melhor poder aquisitivo. “Não tenho como isso estava até 2019, sei que havia redução por vários motivos, fora da seara da secretaria de Turismo. Dentro de cada município, principalmente os turísticos, a gente fala sobre a importância de que se estimule a temática turismo para ser discutida dentro das escolas”, disse.

Ao fim da audiência, os deputados Coronel Azevedo e Francisco do PT se colocaram à disposição do setor para seguir cobrando do Poder Público ações que possam colaborar com a recuperação do setor turístico.