Crise na saúde pública domina debates entre líderes da Assembleia Legislativa.



Os problemas enfrentados pela saúde pública no Estado pautaram os debates entre os líderes da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, durante sessão plenária realizada nesta quarta-feira (10).

Os deputados estaduais Cristiane Dantas (SDD), Nelter Queiros (MDB) e Getúlio Rêgo (DEM), abordaram o tema após mais um vídeo viralizar nas redes sociais com um paciente chorando de dor e deixando o Hospital Walfredo Gurgel, onde teria tido o atendimento negado.

No último final de semana, outro vídeo ganhou repercussão com um senhor relatando sintomas de infarto, chegando a falecer horas depois.

“Mais um paciente que chega com muita dor no Walfredo Gurgel, clama por atendimento e é negado. População quer atendimento digno, o mínimo que o SUS pode oferecer. Essa é uma gestão desastrosa.

Há um caos na saúde. São dívidas que se acumulam com médicos, anestesistas, empresas terceirizadas, fornecedores de insumos e medicamentos, com hospitais privados, repasses aos municípios, com as cirurgias eletivas”, disse a deputada Cristiane Dantas.

Segundo a parlamentar, “pessoas estão morrendo, há anos esperando por cirurgias, e o dinheiro está ouvindo a conversa. Precisa de gestão. Mais de R$ 130 milhões estão nas contas da Saúde. Por que o dinheiro não é usado? Não dá para entender. Queremos que Governo do Estado tome providências urgentes e necessárias”.

Já o deputado Nelter Queiroz chegou até mesmo a solicitar uma intervenção federal na saúde pública do Estado.

“O vídeo com homem chorando com dor saindo do Walfredo é lamentável”, afirma. Para o emedebista, a governadora Fátima Bezerra (PT) deveria exonerar o secretário estadual de Saúde Pública, Cipriano Maia, que “não tem competência nem pulso para comandar a pasta”.

“Solicito intervenção no Governo do Estado, que abandonou a classe mais sofrida. O povo está morrendo. As filas estão aumentando, os exames não existem.

Está um caos total na saúde pública do Estado. O povo está morrendo à míngua. Essa é a realidade. O povo não sabe o que foi feito com o dinheiro que o Governo Federal enviou”, disse Nelter.

O último a abordar o tema foi o deputado estadual Getúlio Rêgo, que destacou a greve iniciada pelos anestesiologistas desde 1º de novembro.

“Essa greve repercute na vida das pessoas, na manutenção da vida. São pacientes que vêm de todo o RN, com procedimentos agendados, e quando chegam, têm que retornar sem que procedimento seja atendido por falta de pagamento dos profissionais. Isso é um absurdo, uma vergonha”, disse o democrata.

Para o parlamentar, “o governo tem que acordar da letargia e sonolência administrativa quando se trata da vida das pessoas. Não dá para tolerar lentidão governamental.

Quem também se pronunciou no horário das lideranças foi o deputado estadual Hermano Morais (PSB), que levantou o debate em torno da importância da missão internacional enviada pelo Governo do RN para buscar parcerias na Europa.

O parlamentar destacou a força do Estado na área das energias renováveis, um dos temais em debate no mundo diante da 26ª Conferência das Nações Unidas.

“O RN é um estado pequeno do país, mas com potencial enorme seja do subsolo com a produção mineral, seja na produção de energia. O Brasil passa por grave crise energética. Estamos com a maior seca registrada em quase 90 anos e isso reflete na economia com a energia mais cara.

O RN tem dado sua contribuição como produtor de energia limpa, para reduzir a poluição e garantir o desenvolvimento de forma sustentável”, disse.

Já o deputado estado Ubaldo Fernandes (PL) cobrou maior celeridade por parte do Governo do Estado para viabilizar a perfuração e instalação de poços no interior do Estado, com o objetivo de combater os efeitos da seca.

“A população tem nos cobrado a apertura de poços e o Governo tem buscado atender, mas de forma muito morosa, com ações pequenas para a dimensão da crise hídrica do Estado”, disse.