in , , , ,

NATAL: HERMANO MORAIS DIZ QUE ÁLVARO DIAS USA DINHEIRO PÚBLICO PARA FAZER PROMOÇÃO PESSOAL .


Pré-candidato a prefeito de Natal pelo PSB, o deputado estadual Hermano Morais acusa o prefeito Álvaro Dias de utilizar a propaganda oficial, paga com verba pública, para promover a sua imagem na capital potiguar. “Está muito claro. Tem aproveitado esse momento de calamidade pública para, na condição de gestor, fazer promoção pessoal até para se tornar mais conhecido em nosso município”, afirma o parlamentar.

Segundo Hermano, o atual gestor municipal tem adotado práticas populistas, como a distribuição gratuita de medicamentos sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus, para conseguir viabilizar sua candidatura à reeleição.

Nesta entrevista ao Agora RN, Hermano Morais fala também sobre os reflexos da atual pandemia do novo coronavírus sobre a economia e a gestão pública e até sobre a sua experiência com a doença. Hoje curado, ele afirma que doará seu plasma sanguíneo para ajudar nas pesquisas em busca de um tratamento eficaz contra a Covid-19. Confira na íntegra:

AGORA RN – O senhor informou que teve a Covid-19. Como foi a experiência e como está se sentindo hoje?

HERMANO MORAIS – Felizmente, estou curado. Não foi fácil, mas hoje estou reestabelecido. Inclusive, vou fazer doação de plasma para ajudar outras pessoas que estão em uma situação mais grave. É uma doença perigosa, um vírus muito traiçoeiro. Recomendo a todos os cuidados que estão colocados pelas autoridades sanitárias. Precisam ter o cuidado com a higiene e distanciamento social, de forma de minimizar o número de infectados.

AGORA – Governo do Estado e prefeituras têm autorizado a retomada das atividades econômicas. Como o senhor avalia essa decisão?

HM – Nós estamos ainda com uma incidência muito grande (da doença), o que exige todo o cuidado. Eu tenho uma preocupação maior com as pequenas e microempresas, que praticamente não têm capital para suportar uma situação dessas. E também com as médias e outras empresas, que estão com dificuldade de manter os empregos. Nós temos que fazer essa transição de forma muito responsável. Nós queremos primeiro preservar a vida, mas temos que olhar também pelo viés social da geração e manutenção dos empregos e da renda.

AGORA – Como o senhor avalia o desempenho da Prefeitura do Natal e do Governo do Estado no combate ao novo coronavírus?

HM – Eu conheço de ambas as partes um esforço grande para reestruturar o serviço de saúde na época de pandemia. Mas precisamos aperfeiçoar o que já foi feito e fazer mais investimentos para poupar vidas e garantir a recuperação do maior número de pessoas.

AGORA RN: Em Natal, a prefeitura montou um centro de prevenção e combate contra o coronavírus e começou a distribuir medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19. Por isso, o prefeito Álvaro Dias está sendo acusado de “populismo”. O senhor concorda?

HM – Não tenho dúvidas sobre o comportamento populista do prefeito Álvaro Dias. Ele tem se valido da situação de calamidade pública para se promover, com ações na área social, com distribuição de cestas, e na propaganda em rádio e televisão, inclusive horário nobre. Os recursos poderiam estar sendo direcionados para melhor assistência à saúde da população. Quanto às medidas preventivas, desde que feitas com eficiência e eficácia, são interessantes, mas o que não se pode também é simplesmente fazer divulgação sem que essas ações tenham bons resultados. Há controvérsias com relação ao uso de alguns medicamentos. Eu sou daqueles que gostam de ouvir os que estudam sobre o assunto, que se dedicam à pesquisa.

AGORA – No início do ano, o senhor anunciou que seria candidato a prefeito de Natal nas eleições deste ano. A pandemia mudou os planos?

HM – De forma nenhuma. Isso aumenta o desafio. Natal sofre muito por falta de uma gestão mais ousada que faça menos propaganda e que tenha mais ações práticas para vencer os problemas que se acumulam ao longo do tempo. Precisamos de uma gestão mais democrática, mais participativa, para que a população seja mais ouvida nos seus anseios. Hoje nós temos os meios para fazer isso, e eles não são utilizados. Nós temos a tecnologia à disposição humana, mas Natal continua no atraso.

AGORA – Como está o processo de pré-campanha?

HM – O meu partido, o PSB, já adotou a minha pré-candidatura em nível municipal, em nível estadual e conta com todo o apoio do diretório nacional. Vamos à luta. Enfrentar os poderosos e a estrutura que está sendo utilizada, infelizmente, de forma errada pela Prefeitura do Natal para promover o atual prefeito que deseja a sua reeleição.

AGORA – O presidente estadual do seu partido, Rafael Motta, fez um convite público para que o PT apoiasse sua candidatura nas próximas eleições. A conversa progrediu?

HM – Não houve desdobramentos. O tempo da decisão está chegando e conversaremos com o Partido dos Trabalhadores. O que nós queremos é o melhor para Natal. Uma gestão que realmente possa fazer diferente e fazer o melhor, atendendo às necessidades e aos anseios do povo natalense.

AGORA – Apesar de ter apenas dois anos de mandato e de ter feito uma carreira política no Seridó, o prefeito Álvaro Dias tem sido o mais lembrado pelos eleitores nas pesquisas de intenção de voto. A que o senhor atribui essa popularidade?

HM – O prefeito Álvaro Dias tem se valido da propaganda paga com dinheiro público para fazer promoção pessoal. Está muito claro. Tem aproveitado esse momento de calamidade pública para, na condição de gestor, fazer promoção pessoal até para se tornar mais conhecido em nosso município. Ele tem uma trajetória e uma origem como político na região do Seridó e que agora procura se tornar conhecido na capital. Então, há uma exposição muito grande que termina projetando o seu nome. Mas, por incrível que pareça, o que nós verificamos é que, apesar de tantas festas e de tanta promoção pessoal, de tanto gasto com propaganda com rádio, jornal e televisão, ele não consegue ter o apoio popular que desejaria. Quando se iniciar a campanha eleitoral, onde todos terão oportunidade de se manifestar, colocar suas propostas e fazer suas críticas, o que hoje não está acontecendo, naturalmente esse quadro vai mudar. Mas o que nós percebemos é que a população, logicamente, não está interessada em política ou campanha eleitoral. Está preocupada com a sua saúde, com o coronavírus. Mas o gestor aproveita para se promover de qualquer maneira.

AGORA – A Prefeitura do Natal tem insistido, mesmo com a pandemia e com a proximidade das eleições, na aprovação do novo Plano Diretor. Como o senhor avalia essa pressa?

HM – Vamos aguardar o desfecho dessa discussão, desejando que realmente nós tenhamos um Plano Diretor condizente com o desenvolvimento sustentável da nossa cidade. Tenho confiança que a Câmara Municipal, sem deixar de ouvir os reclamos da população e sem deixar de considerar tudo aquilo que foi discutido ao longo de meses, de anos, possa aprovar o melhor Plano Diretor.

PF indicia Alckmin por caixa 2, lavagem de dinheiro e corrupção passiva

Se o Congresso interditar reformas, tenho que ir embora, diz Paulo Guedes