Diagnóstico precoce e sua importância



Você sabia que, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer infantojuvenil tem 80% de chance de cura, se for diagnosticado precocemente. Reduzindo a mortalidade e morbidade do tratamento, através de estratégias de saúde pública, para alcançar toda uma população, através de capacitações e sensibilizações, sobre os sinais e sintomas do câncer infantojuvenil.

Estudos do INCA mostram que o câncer é a doença que mais mata crianças e adolescentes, no Brasil, e a segunda causa de óbito, neste grupo etário. No Brasil, a estimativa é de 8.460 casos novos da doença, por ano, enquanto no RN, é de 130 casos novos, para o triênio de 2020 – 2022. Infelizmente, as casas de apoio do Estado não recebem o número total, ainda existem cerca de 30 crianças que seguem sem diagnóstico ou diagnóstico tardio, podendo levar ao óbito.

A principal arma é a prevenção, como também, o maior desafio, porque impacta em conscientizar toda uma sociedade e atingir todas as esferas. Com o objetivo de que haja o interesse da sociedade, buscando capacitar os profissionais da saúde, sensibilizar os pais e cuidadores, encontrar parcerias nas escolas – através dos educadores, desenvolver estratégias de diagnóstico e tratamento adequado e de qualidade o mais rápido possível.

É preciso elevar as taxas de cura, com isso, a Casa Durval Paiva vem trabalhando, neste ano, de uma forma diferente dos anteriores. A campanha retrata, mensalmente, uma tipologia diferente, ressaltando os principais tipos que acometem as crianças e adolescentes.

A neoplasia de janeiro foi a leucemia, que é o câncer dos tecidos formadores de sangue, incluindo a medula óssea. Em fevereiro, foi abordado o tumor do Sistema Nervoso Central, câncer da cabeça. Em março, osteossarcoma – tipo de câncer ósseo, que começa nas células formadoras dos ossos. Abril teve como tema os linfomas – câncer do sistema linfático. Em maio, o neuroblastoma – câncer que costuma ser encontrado nas glândulas adrenais. Junho será sobre o câncer dos tecidos moles e julho – sobre o retinoblastoma. No mês de agosto, o Tumor de Wilms. Setembro terá uma abordagem diferenciada, devido a campanha “Setembro Dourado”, nele, todos os tipos de câncer serão trabalhados. Já nos meses de outubro e dezembro, os dois mais presentes tipos serão repetidos (Leucemia e Tumor do Sistema Nervoso Central) e, em novembro, acontece mais uma edição do fórum DNCCI (Dia Nacional do câncer infantojuvenil), comemorado no dia 23.

Além disso, a CDP vem, concomitantemente, realizando lives, nas últimas quintas feiras do mês, sobre os temas abordados, com especialistas de renome. Internamente, seus profissionais estão sendo orientados, onde todos possam ter acesso às informações e serem multiplicadores dos sinais de alerta do câncer infantojuvenil. A casa já vem trabalhando, desde 2002, no diagnóstico precoce e, em 2020, foi criado o setor específico, com intuito de aumentar os índices da taxa de cura, intensificando as ações e buscando sempre mais parcerias, com o intuito de salvar mais vidas.