Doenças Inflamatórias Intestinais: Maio Roxo alerta para conscientização

O mês de Maio, ou Maio Roxo, é o mês de conscientização da luta contra as Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs). Dedicado à campanha que visa chamar a atenção da sociedade para a causa e buscar melhoria na qualidade de vida dos pacientes de DIIs, o mês acompanha o Dia Mundial da Doença Inflamatória Intestinal, em 19 de maio, data instituída em 2010 e lembrada em mais de 50 países de todo o mundo.

Sintomas que geralmente estão associados a intolerâncias ou má digestão, como diarreia crônica, náusea, dor abdominal, perda de peso e apetite, precisam ser avaliados com ajuda profissional, já que as alterações intestinais podem representar um risco se não tratadas precocemente. Ainda pouco faladas, as DIIs podem ser definidas como um grupo de doenças crônicas, que causam processo inflamatório no trato gastrointestinal.

“As Doenças Inflamatórias Intestinais envolvem duas principais doenças: Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa. São patologias crônicas, que atingem o trato digestório, de causa desconhecida, que podem estar ligadas a fatores hereditários e imunológicos, podendo ser agravadas pelos hábitos de vida. Não tem cura. O diagnóstico precoce e o tratamento podem permitir seu controle e proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes, que podem até vir a ficar completamente assintomáticos”, explica a nutricionista e Presidente da Associação Estadual DII RN, Carla Monteiro.

Ainda de acordo com a nutricionista, as DIIs acometem principalmente jovens, em plena atividade, limitando temporária ou definitivamente suas ocupações habituais, influenciando o comportamento na escola, no trabalho, no relacionamento social e familiar, na autoimagem e na atividade sexual. Estudos recentes apontam que, no Brasil, as Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) atingem 13,25 em cada 100 mil habitantes. No mundo, essa condição atinge mais de 5 milhões de pessoas, segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP).

No RN, a estimativa é de 50 a cada 100 mil habitantes, totalizando uma média de 600 pessoas só na capital potiguar. Nesse sentido, a prevenção e o apoio ao desenvolvimento de estudos sobre as causas e manifestações das DIIs são de extrema importância. Orientação e esclarecimento são fundamentais, pois contribuem para a promoção da saúde e qualidade de vida. Buscando incentivar a mobilização das autoridades públicas estaduais para promover ações que aumentem o conhecimento da sociedade sobre as DII, o deputado Hermano Morais promoveu, no final do ano passado, uma Audiência pública para tratar sobre o tema. Pioneiro no apoio da causa no estado, o resultado das discussões com médicos especialistas, portadores e autoridades do Estado, foi a protocolização do Projeto de Lei 402/2019 que institui a Semana de Sensibilização e Defesa dos Portadores de Doenças Inflamatórias Intestinais (DII). A expectativa é de que o PL tenha aprovação dos demais colegas parlamentares e siga, dentro dos trâmites da Casa Legislativa, para aprovação e posterior sanção no Estado ainda este ano.