Em 10 anos, comércio da zona Norte de Natal cresceu 47%


FOTO: CANINDÉ SOARES
Uma região marcada por profundas mudanças na cena urbana nas últimas décadas. Shoppings, supermercados, farmácias, lojas de variedades e dezenas de pequenos comércios ao longo das principais avenidas. É dessa forma que a paisagem da zona Norte de Natal se transforma e ganha novos contornos. Em 10 anos, o número de negócios ativos na Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte (Jucern) localizados na área, aumentou 47,33%. O quantitativo acompanha o aumento da população. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo de Natal estima que, em 13 anos – entre 2007 e 2020, o número de residentes nessa área da cidade cresceu 23,81%, o maior aumento entre as quatro zonas administrativas da capital.

Os negócios ativos se multiplicaram sucessivamente em uma década, segundo a Jucern. Em 2011, eram 4.225 empresas ativas. Os dados de 2021, mesmo ainda com o ano em curso, apontam 6.269 negócios ativos na Junta Comercial. O número, inclusive, já é maior do que todo o ano de 2020, quando a Jucern registrou 6.115 empresas em atuação – um crescimento de 2,51%.

Além dos 4.225 negócios ativos em 2011, a Junta Comercial registrou, em 2012, 4.565 empresas atuantes; em 2013 foram 4.883; em 2014, 5.196 empresas; 2015 teve 5.457 negócios ativos; em 2016, foram 5.646; em 2017, o número saltou para 5.827; em 2018, chegou a 5.944; em 2019, foram 6.030; em 2020 foi a 6.115 negócios; neste ano, já são 6.269 até o momento.

Os bairros com maior número de negócios ativos atualmente são Potengi (2.135), Nossa Senhora da Apresentação (1.220), Pajuçara (990), Igapó (871), Lagoa Azul (793), Redinha (258) e Salinas (2).

Segundo a Junta Comercial do RN, os 6.269 negócios ativos atualmente estão divididos em variados tipos. Os principais são o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (com 215 empresas ativas), o comércio varejista de mercadoria em geral, com predominância de alimentos, como mercados, mercearias, mercadinhos e armazéns (com 189 negócios ativos) e o comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos, com 137 empresas atuantes na Junta Comercial.

Somam-se a estes, restaurantes e similares (125); comércio varejista de materiais de construção (119); comércio varejista de produtos farmacêuticos (90); e comércio varejista de bebidas (86), dentre outros.

Quando o assunto são os pequenos negócios, incluindo os microempreendedores individuais (MEI), a zona se destaca como a que concentra quantidade significativa em toda a cidade. Segundo o Sebrae-RN, há 20 mil MPEs (que incluem Pequenas empresas, micro empresas e MEIs, que são a grande maioria) na região, o que corresponde a 26% do total registrado na capital, que é de 79 mil. Os bairros Potengi (6.012), Nossa Senhora da Apresentação (5.216) e Pajuçara (4.507) lideram os números.

Pequenos negócios se concentram na área do shopping

A maior parte dos pequenos negócios da zona Norte (60%) está concentrada na região dos shoppings instalados na Avenida Dr. João Medeiros Filho, conhecida como Estrada da Redinha. A cerca de 2 quilômetros, não muito longe do principal centro de compras da zona Norte (Partage Norte Shopping), está a Pompéia (Avenida Antônio de Melo e Souza), no bairro Pajuçara.

A via, que possui aproximadamente 2,6 km de extensão, conta com uma diversidade de estabelecimentos instalados em todo o perímetro. São óticas, lotéricas, farmácias, lanchonetes, dezenas de lojas de roupa, dentre outros negócios.

Com informações da Tribuna do Norte