A Huhtamaki, empresa global especialista na fabricação de embalagens para alimentos e bebidas, anunciou a aquisição total de sua joint venture Laminor S.A, com uma de suas plantas localizadas em Parnamirim, e que no ano passado realizou vendas líquidas superiores a R$ 100 milhões e, atualmente, emprega aproximadamente 130 pessoas.

Fundada em 2002, entre a Huhtamaki e a Bemis (50/50), a joint venture é especializada na produção de laminados plásticos de alta qualidade, especialmente desenvolvidos para produtos de higiene oral como cremes dentais, cosméticos e outras aplicações. Em 2018, a Laminor S.A contou com vendas líquidas superiores a R$ 100 milhões e, atualmente, emprega aproximadamente 130 pessoas.

“A aquisição permite que a Huhtamaki expanda seu negócio de laminados para tubos, parte importante da oferta global de embalagens flexíveis do grupo, e passe a ter 320 funcionários no Brasil”, afirma Daniel Winocur, Gerente Geral da Huhtamaki do Brasil. “Após a operação, contaremos com duas instalações: nossa unidade de embalagens em fibra de celulose moldada, na cidade de Palmeira, no Paraná e a da Laminor, localizada em Parnamirim, estado do Rio Grande do Norte”, completa.

A oportunidade para a Huhtamaki adquirir a totalidade do capital da joint venture se deu devido a fusão entre a Amcor e a Bemis. “Apesar de termos agora o controle total da operação, ressalto que a Laminor manterá o contrato de fornecimento de laminados para tubos para as operações da Amcor no Brasil”, informa o executivo.A transação deverá ser finalizada dentro do tempo previsto, sujeita a revisão administrativa das autoridades brasileiras.

A Huhtamaki é uma empresa global especialista em embalagens para alimentos e bebidas. Com uma rede de 79 unidades de produção e 24 escritórios presentes em 34 países. A companhia domina três tecnologias distintas de embalagens e conta com, aproximadamente, 18.800 funcionários que produzem e desenvolvem embalagens. Em 2018, suas vendas líquidas totalizaram EUR 3,1 bi. O grupo tem sua sede em Espoo, na, Finlândia.

Fonte /Agora RN