Empresário que doou R$ 1 milhão ao Inter para escalar Rodinei promete mais caso a equipe do São Paulo não perca para o Flamengo.




Um empresário rural ganhou destaque no noticiário esportivo no último fim de semana por um motivo inusitado. Elusmar Maggi Scheffer, torcedor fanático do Internacional, decidiu ajudar o então líder do Campeonato Brasileiro com uma doação de 1 milhão de reais. O objetivo era proporcionar a liberação do lateral Rodinei, que pertence ao Flamengo, e, por isso, só poderia atuar diante da equipe carioca mediante o pagamento de uma multa. O Inter aceitou o mimo e escalou Rodinei, que acabou expulso (em decisão contestada da arbitragem) no início do segundo tempo, na derrota por 2 a 1 que levou o Flamengo à liderança, a uma rodada do fim do torneio, no domingo 21.

Nas redes sociais, muitos torcedores ironizaram a iniciativa de Maggi. O empresário, porém, não desanimou a prometeu mais: declarou abertamente que enviará mais dinheiro, desta vez ao São Paulo, adversário do Flamengo na rodada decisiva, em partida marcada para quinta-feira, 25, no Morumbi. A prática imoral de enviar dinheiro a outro clube como incentivo para uma vitória é conhecida como “mala branca” – diferente da “mala preta”, totalmente ilegal, quando a quantia é enviada para que a equipe em questão perca.

Elusmar Maggi é um famoso empresário radicado no Mato Grosso. É irmão de Eraí Maggi, o “rei da soja” e primo de Blairo Maggi, ex-governador do estado e ex-ministro da Agricultura do governo Michel Temer. Ele e o irmão são sócios do Grupo Bom Futuro e acionistas da Scheffer Agrobusiness. Em 2014, a família Maggi foi considerada a sétima mais rica do país pela revista Forbes, com uma fortuna estimada em 4,9 bilhões de reais.

O empresário se manifestou após a derrota para o Flamengo no Maracanã e tratou como vergonhosa a expulsão de Rodinei, que levou o vermelho, com auxílio do VAR, por um pisão em Filipe Luís. Ainda na primeira etapa, Rodinei chutou uma bola na trave. A doação de Elusmar foi realizada sem contrapartidas, ou seja, o Inter não precisará devolver a quantia.

“É que nem aquela história: ‘Tenho de fazer uma entrega no Rio de Janeiro e sei que vou ser roubado, mas tenho que ir lá’. Isso não existe, foi uma vergonha, o lance do Rodinei foi uma vergonha. Na quinta, vamos ser campeões”, afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha no domingo.

Na mesma entrevista, Elusmar revelou que enviará uma “mala branca” ao próximo adversário do Flamengo. “Vou injetar dinheiro no São Paulo para a gente ser campeão. Vou estudar com a minha parte jurídica como proceder amanhã. Vai ser 1 a 0 para a gente contra o Corinthians”, completou.

Para conquistar o Brasileirão pela primeira vez desde 1979, o Inter precisa vencer o Corinthians no Beira-Rio e torcer por ao menos um empate do Flamengo diante do São Paulo, no Morumbi