in

Espanha pode despejar grupo nudista que pratica sexo livre sem limites



Um grupo de cerca de 200 nudistas está no alvo das autoridades de Mansilla de la Sierra, na Espanha. De acordo com o jornal La Vanguardia, eles andam pelados e fazem sexo ao longo de todo o dia em uma espécie de ritual de amor livre.

Os participantes são membros de um grupo chamado Família Arco Íris, que se baseia nos movimentos hippies dos anos 1970. Além de serem amantes da natureza, eles também são contra o consumo desenfreado de bens de consumo.

Esse tipo de encontro obedece o calendário lunar e costuma ser realizado pelo menos uma vez por ano em diversos lugares do mundo. Entre os acampados, há ingleses, franceses, espanhóis e alemães, entre outras nacionalidades. ​

Museu em Paris abre as portas para nudistas
Nudistas visitam museu em Paris Nudistas visitam museu em Paris Nudistas visitam museu em Paris
+ 2 fotos
Eles fizeram o acampamento, aparentemente temporário, longe do núcleo urbano da cidade, em um local onde não há sinal de celular. Para chegar lá, é preciso caminhar cerca de 3 km a partir do ponto onde é preciso deixar os carros. Depois, é necessário fazer uma caminhada longa ou cortar caminho por uma trilha bastante íngreme.

Mesmo assim, aguarda-se que em breve seja emitida uma ordem de despejo, já que tem havido muitas reclamações a respeito da dinâmica do grupo. A Guarda Civil teme que haja menores presenciando os atos sexuais.

As fontes policiais dizem que não foram encontradas drogas durante as visitas ao local. Já moradores das redondezas afirmam ter encontrado caixas de Viagra.

Além disso, há investigações para saber se eles estariam desobedecendo normas ambientais no local, por exemplo, ao acender fogueiras. Contudo, segundo apurou o La Vanguardia, os proprietários da terra onde foi feito o assentamento não fizeram, até o momento, nenhum pedido formal para que os membros do grupo fosse retirados.

Colisão entre trens de passageiros deixa dezenas de mortos no Paquistão

Na contramão de Pazuello, sargento da Marinha gay e de esquerda se vê perseguido após críticas a Bolsonaro