Flamengo anuncia na madrugada a demissão de Rogério Ceni


Rogério Ceni não é mais o técnico do Flamengo. Utilizando as redes sociais do clube, a direção rubro-negra comunicou na madrugada deste sábado a demissão do treinador. A partir de agora, Renato Gaúcho passa a ser prioridade como substituto. Maurício Souza dirigirá a equipe contra a Chapecoense, domingo, no Maracanã, pela 11ª rodada do Brasileirão.
Depois de uma sexta-feira intensa nos bastidores rubro-negros, o anúncio da demissão de Ceni ocorreu às 2h46 deste sábado, pelas redes sociais do clube.
– O Clube de Regatas do Flamengo informa que não continuará com Rogério Ceni à frente do time principal. O Clube agradece pelos serviços prestados e deseja sucesso nos próximos desafios – diz o comunicado.
Contratado em novembro de 2020, Rogério acabou não resistindo aos maus (e decepcionantes) resultados colhidos neste início de Brasileirão e também ao conturbado ambiente interno. O desgaste no departamento de futebol era crescente nas últimas semanas, e o treinador estava cada vez mais isolado e desconfiado da maioria daqueles que o cercavam no centro de treinamento. O silêncio da diretoria mesmo diante dos conflitos virem a público aumentava ainda mais o incômodo.
Na sexta-feira, Ceni comandou normalmente as atividades no campo, enquanto Rodolfo Landim, Marcos Braz e Bruno Spindel debatiam os rumos do futebol em reunião no Ninho. O presidente queria se inteirar da realidade dos conflitos recorrentes naquele ambiente, e o trio foi surpreendido com dois vazamentos que estremeceram as bases do trabalho de técnico ao longo da sexta.
No início da manhã, o UOL publicou imagens de um relatório do setor de análise de desempenho que tratava Geromel e Kannemann, zagueiros do Grêmio, como jogadores do Sport. Mais do que o erro técnico, que já havia sido debatido longamente na ocasião, no final de janeiro, gerou revolta a divulgação de um documento interno.
A diretoria iniciou um processo de caça às bruxas com o aval de Landim para demissão dos envolvidos. A percepção nos bastidores é de que o vazamento partiu da pequena ala favorável a Ceni para expor pontos fracos do departamento.
Não tardou, no entanto, e o contragolpe veio em alto e bom som pela voz do analista de scout Roberto Drumond. Por mais que o departamento comandado pelo ex-volante Fabinho não tenha nenhuma relação com o trabalho da análise de desempenho, o vazamento gerou burburinho e Drumond fez críticas ferrenhas a Ceni para pessoas próximas em áudio vazado pelo ge.
O episódio aconteceu durante a reunião entre presidente, vice de futebol e diretor executivo, e causou revolta. De imediato, Marcos Braz ordenou a demissão do analista e Landim aproveitou a presença no CT para acelerar os trâmites trabalhistas legais.
Tais acontecimentos deixaram ainda mais a sensação de ambiente contaminado, e a demissão de Rogério Ceni passou a ser debatida com maior veemência. Antes, porém, a diretoria desejava identificar o responsável pela exposição do documento da partida contra o Sport.
Neste sábado, às 9h (de Brasília), o elenco fará seu último treinamento antes da partida com a Chapecoense, domingo, na volta ao Maracanã. Maurício Souza estará no comando da equipe que tentará a reabilitação após as derrotas para o Fluminense e Atlético-MG. Com 12 pontos (e 2 jogos a menos que a maioria dos adversários), o Rubro-Negro ocupa a 12ª colocação do Campeonato Brasileiro.