Através do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC), o Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro enviou intimação nesta quinta-feira (2) para colher depoimento do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e de sua mulher, Fernanda, no inquérito das “rachadinhas”.

Os depoimentos foram marcados para os dias 6 ou 7 de julho. O senador, no entanto, tem a prerrogativa de marcar a data.

A defesa do senador confirmou que recebeu comunicado marcando a oitiva para os dias 6 ou 7 de julho e emitiu a seguinte uma nota: “Causa espanto à Defesa que o Grupo de atuação especializada de combate à corrupção (GAECC) insista em colher depoimento dos investigados. O próprio Gaocrim (Grupo de Atribuição Originária Criminal), que atua na segunda instância e ao qual cabe agora a investigação, interpôs Reclamação perante o STF tão logo tomou conhecimento do resultado do HC que retirou o foro da primeira instância.”

No dia 25 de junho, Flávio Bolsonaro conseguiu um habeas corpus no Tribunal de Justiça do Rio que enviou o caso para um órgão especial. O partido Rede Sustentabilidade entrou com uma ação no Supremo para questionar o foro. O ministro Celso de Mello decidiu enviar o caso para o plenário do STF.

CNN Brasil