in

Galo ‘esfaqueia’ e mata policial que trabalhava em operação contra rinhas


Um policial morreu “esfaqueado” em San Jose, nas Filipinas, na última segunda-feira (26) durante uma operação contra rinhas, na qual ele estava como agente infiltrado. O tentente Christian Bolok foi atacado por uma das aves, que estava ‘armada’ com lâminas nas garras, acertando sua artéria femoral, que o fez sangrar até a morte.

Tal qual no Brasil, a rinha de galo é uma atividade clandestina comum nas Filipinas, que envolve apostas e contrabando de animais. Normalmente, os donos das aves aplicam esporas, lâminas ou qualquer outro objeto cortantes. O objetivo é que o adversário lute até a morte com outro oponente.

Bolok se infiltrou em uma dessas rinhas, com o objetivo de recolher provas da atividade ilegal. Tudo ia bem até pegar num dos galos, com o objetivo de confiscá-lo. Foi quando o animal agitou-se e, com a lâmina que tinha em uma das garras, acertou a artéria femoral do agente, que em morreu em poucos minutos.

O policial chegou a levado ao hospital local, onde foi declarada a morte. “É com o coração pesado que anuncio que perdemos um dos nossos irmãos, que sacrificou a própria vida em nome do serviço. A Polícia Nacional das Filipinas chora a morte trágica do tenente Bolok e expressa as suas sentidas condolências à família e amigos. Foi um infortúnio, um acidente de má sorte, que eu não consigo explicar”, disse à AFP o coronel Arnel Apud, chefe da polícia local.

O Tempo

Edinho Oliveira lidera disputa a prefeito de Poço Branco com 52,4%, aponta Instituto SETA

Governadora sanciona Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas no RN