Governadora anuncia reabertura da Biblioteca Câmara Cascudo em outubro



Anúncio ocorreu nesta segunda-feira (28), durante o evento “Biblioteca Pública — atuação social, política e cultural” —, promovido pela Coordenação do Curso de Biblioteconomia, do Centro de Ciências Sociais Aplicadas

A previsão de reabertura da Biblioteca Câmara Cascudo, em Natal, é o próximo mês de outubro. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (28) pela governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, ao participar da abertura do evento “Biblioteca Pública: atuação social, política e cultural”, realizado pela Coordenação do Curso de Biblioteconomia, do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da UFRN, em parceria com o Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB-15) e que segue até o dia 30 de junho.

“Não podemos considerar normal que a biblioteca esteja fechada há quase uma década. Mas essa página será virada! Palavra de professora — em outubro, a biblioteca vai ser entregue a vocês. Graças a um governo que tem competência, foco, planejamento e gestão”, disse a governadora, que foi convidada de honra do evento.

A Biblioteca foi criada em 1963 e fechada em 2012 para a reforma. A obra custou aproximadamente R$ 1,6 milhão e o espaço será entregue com novos títulos, galeria de arte, estações de pesquisa, cabines de estudo, climatização, café e acesso à internet.

A coordenadora do curso de Biblioteconomia na UFRN, Gabrielle Tanus, organizou e lança o livro “Em busca de bibliotecas verdadeiramente públicas no estado do RN”, escrito pelos estudantes do curso. Em sua fala, destacou a importância desse tipo de equipamento público.

“Que possamos aprender que não devemos fechar bibliotecas públicas para reformas. Devemos garantir a sua existência em outro espaço público e a permanência da oferta de serviços e recursos para o desenvolvimento econômico e social dos indivíduos e da comunidade”, alertou.

O diretor-geral da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, explicou o que chamou de “via-crúcis” burocrática para a reabertura da biblioteca, que assim como Teatro Alberto Maranhão, a Fortaleza dos Reis Magos, o Memorial Câmara Cascudo, o Museu da Rampa e outros, deixou de atender à população em governos anteriores.

“O que o governo está fazendo é criar as condições para reabrir com dignidade todos os espaços culturais”.
Também participaram a presidenta do Conselho Regional de Biblioteconomia, Kilvya Braga; o presidente da Fundação Cultural do Estado do Pará, Guilherme Relvas D’Oliveira; e palestra da professora Dra. Marília Paiva (UFMG), com o tema “Biblioteca pública: atuação social, política e cultural”.

Outras medidas

Ainda durante o evento, a governadora Fátima Bezerra destacou ações que estão sendo desenvolvidas no estado, como o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD); Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler); Biblioteca para todos; RN Literário e RN Mais Leitura.

Ela destacou também sua atuação em políticas públicas que se relacionam com o setor de bibliotecas, como financiamento da Educação Básica, com o Fundeb; luta pela valorização dos profissionais da educação; além de expansão e fortalecimento das escolas técnicas e universidades, por meio do Reuni.

“No campo da Cultura, tenho muita alegria de ter sido relatora de uma lei importantíssima que originou o Plano Nacional de Cultura. E em 2018, tivemos a lei que instituiu a universalização política permanente de promoção e de universalização do direito ao acesso ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas, em todo o país” lembrou a professora Fátima Bezerra.

“Até então as ações que foram implementadas nessa área foram através de programas; portanto, ações de governo. Esse projeto que virou lei é fruto de um trabalho muito bonito do professor Castilho, da Universidade de São Paulo, que durante um bom tempo esteve à frente do Programa Nacional do Livro, nos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma”.