Governo firma protocolo para produção de hidrogênio verde



Protocolo define providências e medidas de cooperação que visam à execução de projeto piloto para produção de hidrogênio verde

O Governo do Rio Grande do Norte assinou nesta terça-feira (21) protocolo de intenções com a empresa Neoenergia S/A que visa à execução de projeto piloto para produção de hidrogênio verde. O protocolo define providências e medidas de cooperação. Por parte da empresa está a responsabilidade pela prospecção de demanda, captação de parceiros tecnológicos, definição de estrutura para financiamento do projeto. Já ao Estado caberá promover incentivos fiscais, regulatórios, fundiários e de licenciamento para o desenvolvimento da cadeia de produção de hidrogênio verde.

“O RN se projeta cada vez mais na área das energias renováveis, já somos o maior produtor do país em eólica on shore (em terra). E caminhamos para ser o primeiro Estado a produzir offshore. Este acordo que estamos firmando com a Neoenergia entra neste contexto e amplia para a produção de hidrogênio verde. Digo da satisfação de firmar este protocolo que é ação concreta e compromisso com o desenvolvimento sustentável”, afirmou a governadora professora Fátima Bezerra.

Ela citou o difícil momento que o Brasil passa diante da crise hídrica e energética. “O RN já dá imensa contribuição ao setor energético do país e poderá ampliar”, declarou, acrescentando que o RN tem um governo que dialoga e propõe ambiente favorável aos investimentos. “Temos equipe com perfil técnico e preparada em suas respectivas áreas. Associamos o conhecimento técnico à sensibilidade social e política. A Sedec é hoje uma secretaria conhecida, acessível, um espaço de diálogo com todos os segmentos das atividades econômicas. O Governo é parceiro da iniciativa privada e aberto às boas parcerias com transparência e responsabilidade”, afirmou.

Titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec), Jaime Calado reforçou que “o Governo do RN sabe de suas responsabilidades. Temos os melhores ventos do mundo, a Neoenergia é pioneira na geração de energia eólica on shore em nosso Estado e pode ser off shore. Convidamos o grupo, discutimos as possibilidades, e hoje estamos aqui para firmar este protocolo que já é de um projeto piloto. Por isso, considero um dia marcante, um fato histórico para um setor que só faz crescer, gera 60 mil empregos e tem aqui as maiores empresas do setor no mundo. Queremos que o RN seja cada vez mais um polo produtor de energias renováveis e armazenagem de hidrogênio verde”. O coordenador de desenvolvimento energético da Sedec, Hugo Fonseca, explicou que o hidrogênio verde é visto hoje no mundo todo como viabilidade de energia limpa. “Investir neste setor e em novas tecnologias é entregar um legado de sustentabilidade às novas gerações”.

O presidente da Federação das Indústrias, Amaro Sales Amaro, elogiou a iniciativa do Governo do Estado e disse que a Fiern se soma a este esforço e quer dar sua colaboração. “O grupo Neoenergia já é parceiro nosso e, tenho certeza, vai continuar contribuindo muito para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte”, destacou.

Para João Hélio, diretor técnico do Sebrae: “enquanto instituição acreditamos muito no desenvolvimento energético. Há pouco tempo tínhamos seis, agora são mais de 100 empresas atuando nesta área. Que o hidrogênio verde venha com muita força e seja protagonista. Aqui o Estado e empresas apostam em um novo caminho e o Sebrae está à disposição.”

Marcio Caires, presidente da Cosern – empresa do grupo Neonergia – disse que “esta é mais uma parceria com o Governo do Estado. Agora, chegou a hora do hidrogênio verde. Junto com o Estado e outros parceiros estamos confiantes no sucesso desta nova iniciativa.”

O grupo Neoenergia também foi representado pelo superintendente de operações, David Benavent, diretor de Relações Institucionais e Governamentais, João Paulo Neves Batista Rodrigues, diretor de negócios liberalizados Hugo Nunes, gerente de exploração Hélio Reinaldo, gerente da Termope, Tatsumi Igarashi.

O secretário de Estado da Infraestrutura, Gustavo Coelho, o presidente da Fundação de Pesquisa do RN (Fapern), Gilton Sampaio, o secretário adjunto da Sedec, Sílvio Torquato, a assessora de governança corporativa da Potigás, Samanda Alves, acompanharam a governadora no ato de assinatura. Também participaram o diretor técnico do Sebrae, João Hélio, representantes da UFRN e do IFRN e do Instituto Senai de Inovação. O deputado estadual Francisco do PT representou a Assembleia Legislativa.

Hidrogênio Verde

O hidrogênio verde se tornou prioridade na estratégia de energia e climática de diversos países. Isso acontece porque é alternativa para setores de difícil abatimento de emissões de carbono, possibilitando o armazenamento e fornecimento aos setores da indústria e transporte. A aceleração do desenvolvimento do mercado de hidrogênio trará mais oportunidades de negócios nas áreas de petróleo e gás, eólica e solar, biocombustíveis, nuclear, vez que existem várias tecnologias e insumos para a produção de hidrogênio.

O Rio Grande do Norte tem as melhores condições ambientais para a geração de energia eólica offshore. Hoje, tem quatro projetos em processo de licenciamento que podem incluir a produção de hidrogênio verde – energia mais barata, renovável e de grande disponibilidade de geração, ampliando a viabilidade dos empreendimentos.

Neoenergia

Controlada pelo grupo espanhol Iberdrola, a Neonergia atua há mais de 20 anos no Brasil. As atividades começaram em 1997, com investimentos em distribuição de energia elétrica na Bahia e no Rio Grande do Norte. Hoje, a empresa é um dos maiores atores do setor de energia do Brasil, com atuação integrada e diversificada. Possui ativos de distribuição, geração, transmissão e comercialização de energia em 18 Estados e no Distrito Federal. No Rio Grande do Norte, desde 1997, o Grupo Neonergia administra a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern). O grupo também possui em operação no Estado parque eólico localizado no município de Rio do Fogo, com 62 aerogeradores e capacidade instalada de 49,3 MW