Irritado com ritmo da equipe de Paulo Guedes, Bolsonaro ameça demitir funcionários da Economia



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não está nada satisfeito com a demora da equipe de Paulo Guedes para encontrar a solução das promessas do Palácio do Planalto como zerar o imposto federal sobre o diesel e a conta sobre o valor final do auxílio emergencial que não consegue ser fechada.

De acordo com a coluna de Carla Araújo, da Uol, o silêncio do ministro da Economia, Paulo Guedes, pode estar relacionada a ameaças de demissão na pasta. Desde setembro do ano passado a relação do presidente não é das melhores com a equipe de Guedes. Um dos nomes que estão na mira de Bolsonaro é o do secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues.

Quem também deve sair nos próximos dias é o presidente do Banco do Brasil, André Brandão. Ele e o ex-presidente da Petrobras Castello Branco foram nomes escolhidos por Guedes. A saída de ambos do governo representa forte baixa na agenda liberal do ministro.

Paulo Guedes e auxiliares de Bolsonaro tentam convencê-lo que novas interferências nas estatais podem causar maiores turbulências no mercado, mas o presidente segue fazendo ameaças públicas. “Semana que vem teremos mais”.