Aliado antigo do ex-presidente Jair Bolsonaro, o senador Major Olímpio (PSL-SP) chamou o presidente de traidor e afirmou que ele tem se desviado dos princípios propostos no período de campanha. A informação é da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

“Essa negociação com o centrão por cargo. Essa safadeza que nós tanto lutamos contra. […] Eu estou tão enojado com a política, do que eu vi, do que eu senti, do que não estou concordando, que eu não quero disputar eleição para nada. Vejo lamentavelmente alguns policiais dizendo: ‘O major é traíra’. Não, o major não é traíra com nada. Quem está traindo, tropeçando nas palavras, é o próprio Bolsonaro”, disse ele, em áudio do WhatsApp.

Ainda segundo Olímpio, Bolsonaro brigou com ele por não querer que o major assinasse a CPI da Lava Toga do STF, para que pudesse proteger “filho bandido”. O senador disse ainda que está enojado com o comportamento que o presidente da República tem adotado.

“Eu não gosto de ladrão. Para mim, ladrão de esquerda é ladrão. De direita, é ladrão. Se for filho do presidente ladrão roubando junto com o presidente, eu vou dizer”, acrescentou.

Olímpio respondia a críticas de policiais que diziam que ele estava mudando seu posicionamento depois de eleito. Ainda de acordo com a Folha, ao anunciar que “penduraria as chuteiras” na política, Olímpio torceu para que os policiais de São Paulo encontrem um “representante digno”.