Maradona era dopado com álcool e maconha para não ver orgias em sua casa

Diego Maradona morreu no dia 25 de novembro de 2020. E o que não faltam são relatos dos últimos momentos de vida do ídolo dos argentinos. Áudios vazados de Leopoldo Luque, médico de Diego, mostram que El Pibe era dopado pelo irmão de sua última namorada para não acompanhar momentos íntimos do parente com mulheres.

Áudios mostram temor de médico por Maradona usar álcool e drogas após cirurgia
“Meu tio não queria viver”, revela sobrinho de Diego Maradona à TV argentina
Áudios de médico de Maradona causam polêmica: “O idiota vai morrer cagando”
Saiba quem interpreta Maradona em série sobre o craque argentino

O portal Infobae e a TV América revelaram mais áudios de Luque sobre os momentos finais de Maradona. No último arquivo, Luque revela que Charly, primo de Rocío Oliva, última namorada do ex-jogador, levava com frequência mulheres à casa do ex-craque em La Plata.

E para que Maradona não presenciasse as cenas de sexo vividas pelo amigo, Charly dopava Don Diego com vinho, soníferos, maconha e cerveja.

“Charly levava uma mulher diferente por dia, e, para fazer isso, tirava Diego de cima com maconha e cerveja. O quebrou em mil pedaços”, revelou o médico, em áudio divulgado pela Infobae.

A imprensa argentina ficou chocada com os áudios e passou a discutir onde Maradona ficava enquanto pessoas transavam em sua volta. O médico Leopoldo Luque vem sendo investigado pela polícia do país por negligência no tratamento de Maradona em seus últimos meses de vida.