MBL denuncia Bolsonaro no Tribunal de Haia por genocídio

Os presidentes da República, Jair Bolsonaro e do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, fazem declaração à imprensa no Planalto



O Movimento Brasil Livre (MBL) denunciou o presidente Jair Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia.

A peça acusa o governo federal de crime de genocídio por ter ignorado evidências científicas no combate à pandemia e por ter sugerido que a disseminação da Covid-19 poderia ter efeito positivo ao contribuir para o que chama de “imunidade de rebanho”, que tem sido descartada por cientistas como proteção coletiva ao vírus.

O documento é assinado por Renato Battista, líder do MBL e membro do gabinete do deputado estadual Arthur do Val (Patriota-SP).

A denúncia também aponta que Bolsonaro incitou a população a não seguir recomendações sanitárias de contenção da pandemia ao utilizar fake news para atacar vacinas, ao desincentivar o uso de máscaras e o distanciamento social e ao propagandear a utilização de medicamentos sem eficácia contra a Covid-19, como a cloroquina.

Battista pede a abertura de investigação e a prisão preventiva de Bolsonaro, para evitar que os crimes denunciados continuem a ocorrer.

No texto, ele argumenta que uma atitude por parte do Tribunal de Haia é importante também porque as chances de responsabilização de Bolsonaro são reduzidas diante da atuação supostamente conivente do Procurador-Geral da República, Augusto Aras.

Com informações da Folha.

Fonte: Portal Grande Ponto