in

Médico que avaliou saúde de Maradona diz que ex-jogador ‘se entregou’

O médico e secretário de Segurança de Buenos Aires, Sergio Berni, revelou que fez parte de uma equipe que avaliou o estado de saúde do ex-jogador Diego Maradona em 2001, quando ele tinha 41 anos. Em entrevista ao programa de debates “Podemos Hablar”, do canal Telefe, ele afirmou que os “sintomas precoces de cardiomiopatia dilatada” foram diagnosticados neste período.

O distúrbio faz com que o músculo cardíaco prejudique o bombeamento do sangue a partir do coração. Para Berni, a morte do ídolo argentino já era esperada por causa desses fatores. “Não foi um choque quando eu soube”, comentou.

Para ele, o ex-jogador “se entregou”. “Sou daqueles que acreditam que o Diego estava preparando isso, ele estava procurando por isso. Nós que temos uma relação com o paciente, vemos isso, vemos a relação entre vida e morte, quando o paciente se entrega. Diego se entregou”, afirmou.

“Os últimos anos de Maradona foram um tormento, realmente foram um tormento. Ser Maradona fez mais mal a ele do que qualquer uma das doenças e vícios. Ele estava em um ambiente prejudicial. Encontrou paz nesse caminho”, finalizou.

Maradona morreu em 25 de novembro, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória.

Álvaro Dias reconhece 2ª onda da Covid-19 em Natal, pede rigor ao comércio, bares e restaurantes

Vivaldo Costa requer doação de aves para pequenos produtores rurais de Ipueira