Ministro determina depoimentos de Generais.


O ministro Celso de Mello, que parece nutrir um “ódio insano” pelo presidente Bolsonaro, decidiu bater de frente com autoridades das Forças Armadas.

Em seu despacho, o Supremo Deus determinou a oitiva dos generais Augusto Heleno, Braga Neto e Luiz Eduardo Ramos no inquérito que investiga acusações feitas pelo ex-ministro Sérgio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro.

Celso de Mello deu a seguinte ordem:

“Cumpre advertir que, se as testemunhas que dispõem da prerrogativa fundada no art. 221 do CPP, deixarem de comparecer, sem justa causa, na data por elas previamente ajustada com a autoridade policial federal, perderão tal prerrogativa e, redesignada nova data para seu comparecimento em até 05 (cinco) dias úteis, estarão sujeitas, como qualquer cidadão, não importando o grau hierárquico que ostentem no âmbito da República, à condução coercitiva ou “debaixo de vara”, como a ela se referia o art. 95 do Código do Processo Criminal do Império de 1832, na linha do que estabeleceu valioso precedente firmado pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal