in , ,

Na sessão plenária extraordinária desta terça-feira apreciamos mais 17 decretos de calamidade pública em razão da Covid-19, totalizando 46 municípios do Rio Grande do Norte.

Aproveitei a oportunidade para falar sobre a preocupação do nosso mandato com a situação dos municípios que tiveram a parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) zerada nesta primeira parcela de abril. E também a respeito da possibilidade de aumento do gás de cozinha em razão do aumento da demanda de pessoas que estão comprando acima da necessidade do mês, podendo vir a prejudicar o trabalhador que não pode comprar mais de um gás por mês, ao mesmo tempo provocar o aumento do preço por conta da lei da oferta e da procura, como já vem acontecendo em outros Estados. O presidente da SINGÁS RN, Francisco Correia, garantiu que não faltará gás se a população contribuir.

Vivaldo pede que transportes intermunicipais disponibilizem álcool em gel e passageiros usem máscaras

Idoso de 99 anos, veterano da 2ª Guerra Mundial que atuou em Natal, é mais velho a se recuperar da Covid-19 no Brasil