O CAU/RN, juntamente com o Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio Grande do Norte (IAB/RN) e o Sindicato de Arquitetos e Urbanistas no Estado do Rio Grande do Norte (SINARQ/RN), publicaram nota de repúdio quanto ao posicionamento do Conselho Estadual de Cultura do Rio Grande do Norte, ignorou documentação elaborada por arquitetos e urbanistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), professores e pesquisadores com reconhecimento nacional da área de Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo, que, no âmbito de suas atribuições profissionais, produziram parecer técnico fundamentado sobre os elementos característicos da arquitetura modernista, presentes no Hotel Internacional dos Reis Magos (HIRM), que possibilitariam o seu reconhecimento como bem representativo da arquitetura moderna brasileira.

O documento será entregue a autoridades e órgãos públicos, além de ser divulgado amplamente para a sociedade para destacar a importância da preservação do patrimônio histórico e o papel do arquiteto neste processo

A Nota de Repúdio destaca que “cabe ao arquiteto e urbanista reconhecer, respeitar e defender as realizações arquitetônicas e urbanísticas como parte do patrimônio socioambiental e cultural, estando apto, inclusive, a contribuir para o aprimoramento e preservação deste patrimônio. (Resolução n° 52/2013 do
CAU/BR)”.