in

Operação da polícia deixa pelo menos 15 mortos no Jacarezinho, no Rio



A Polícia Civil confirma a morte de pelo menos 15 pessoas durante intenso tiroteio na Favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, resultado do confronto entre traficantes e e policiais durante a Operação Exceptis. Um dos mortos é o agente André Frias, da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), baleado na cabeça. Levado ao Hospital Municipal Salgado Filho com quadro clínico considerado grave, ele não resistiu.

A ação também deixou pelo menos quatro pessoas feridas, entre elas dois policiais, atingidos de raspão no braço e panturrilha e que, após atendidos, têm quadros estáveis, e dois passageiros do metro, atingidos dentro do vagão. Ao todo, 21 traficantes foram identificados e são procurados pela polícia local. A operação segue em andamento na favela.

Em nota, a Polícia Civil informou que a ação, batizada de Operação Exceptis, é resultado de uma investigação contra a organização criminosa que atua na comunidade e coordenada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

O grupo é investigado pelo aliciamento de crianças e adolescentes para integrar a facção que domina o território, explorando os menores para práticas como o tráfico de drogas, roubo de cargas, roubos a transeuntes, homicídios e sequestros de trens da Supervia, dentre outros crimes praticados na região.

O confronto interrompeu a circulação dos transportes públicos na região, além de ter provocado o fechamento de escolas e de unidades de saúde, suspendendo, entre outros serviços, a vacinação contra a Covid-19.

O MetrôRio informou que os “dois clientes foram atingidos na altura da estação de Triagem, após o vidro de uma das composições aparentemente ser atingido por projétil”. Os passageiros feridos foram socorridos e também têm quadros estáveis.

Faustão troca a Globo por salário milionário na Band; saiba quanto ele receberá

Crise no turismo do RN ameaça futuro do Estado”, diz vereador Aldo Clemente