Deputados e senadores de oposição ingressaram com representação no Ministério Público Federal (MPF) contra o presidente Jair Bolsonaro com base no episódio no qual o chefe do Palácio do Planalto se referiu aos governadores do Nordeste como “paraíbas”, informa a coluna Painel, da Folha.

Na peça, os parlamentares argumentam que Bolsonaro incorreu em ato de racismo e desrespeitou o princípio da impessoalidade na administração pública, ao sugerir a restrição de relações com alguns gestores, como o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

O documento também cita uma transmissão ao vivo no Facebook, na qual o presidente perguntou ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, se tinha algum parente “pau de arara”.

O ministro respondeu que tinha parentes no Piauí e Bolsonaro concluiu:

Agência / Brasil