in , , ,

Parnamirim registra queda nos casos e mortes por Covid-19

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesad), através do Departamento de Vigilância em Saúde, divulgou nesta segunda-feira (3), novo boletim epidemiológico, destacando o comportamento da pandemia do novo Coronavírus em Parnamirim. A análise dos dados evidencia uma redução acentuada, tanto no número de novos casos, quanto de mortes causadas pela Covid-19, especialmente a partir da semana epidemiológica 27, que compreende o período entre os dias 28 de junho e 4 de julho. Uma tendência de queda que vem se mantendo nas últimas semanas.

De acordo com o boletim, a média diária de novos casos confirmados, que era de 74 nesse período, decresceu para uma média de 15 casos diários, uma queda de 79%, segundo dados contabilizados até o último sábado, dia 1º de agosto.

Thulianne Lopes, coordenadora do setor de Vigilância Epidemiológica explica que a curva dos casos acumulados deixou de crescer de forma exponencial há algumas semanas, entrando em um estágio chamado de platô (quando os números registrados atingem uma estabilidade), com tendência de queda.

A coordenadora avalia que essa situação requer ainda muitos cuidados, para se evitar novas ondas de contaminação. “O pico da curva de contágio indica que um número máximo de pessoas suscetíveis já teve contato com o vírus, mas não significa o esgotamento, existindo sempre o risco de novos casos, enquanto não existir uma vacina eficaz”, alertou Thulianne.

Com relação aos registros de mortes causadas pela Covid-19, o boletim divulgado pela Sesad também evidencia redução significativa. O relatório aponta que o período mais crítico estendeu-se entre os dias 15 de março e 27 de junho, quando foram totalizadas 18 mortes. A partir de então, verificou-se um comportamento descendente, quando os registros caíram de 12 mortes semanais para três.

Ainda segundo Thulianne Lopes, os índices de mortalidade observados em Parnamirim indicam um bom desempenho do município em relação ao manejo dos casos, pois apresenta o menor coeficiente de mortes acumuladas por 100 mil habitantes, quando comparado com outros municípios. A taxa de letalidade, que mede a gravidade da doença, ou seja, o percentual de mortes entre os que adoecem, também se apresenta muito baixa, em comparação com os demais municípios.

Lei que isenta IPTU de pessoas com doenças graves é mantida pela Câmara de Natal

Justiça Eleitoral do RN cria plano de retomada das atividades