in ,

Prefeita de Ouro Branco deve explicar ao Ministério Público aumento de salários em plena pandemia de Coronavírus

O Ministério Público Estadual está com as antenas ligadas para um caso isolado no Seridó. É que a prefeita de Ouro Branco, Fátima Silva (PT) deu um aumento de 118,75% no salário que ela vai receber quando sair da prefeitura. Fátima é dentista efetiva dos quadros da Prefeitura. A inflação foi mascarada através de reajuste no incentivo de PSF para Dentista, que é uma gratificação provisória paga por repasse de programa temporário.

Também deve chegar as lupas do promotor Flávio Nunes da Silva, que responde pelo termo de Ouro Branco, o outro aumento de 76,92% no incentivo da irmã da prefeita, a enfermeira Vitória Silva, presidente do PL de Ouro Branco. Através do cargo de Enfermeiro efetivo. Para comparar, o ajuste do incentivo aos médicos foi de 6,56%. Ela aproveitou para tornar o valor perpétuo, sem previsão no Plano de Cargos. Enquanto isso, outras categorias registram defasagem salarial de quase 20%. Agentes administrativos, por exemplo, estão sem reajuste desde 2013.

Além do Congresso Nacional que anda sinalizando em diminuição de salários, cidades do Seridó começam a discutir a mesma vertente. Somente Ouro Branco que houve aumento de salários em plena pandemia do Coronavírus.

Vereador Ney Lopes Jr. recebe alta de hospital

Seridó: Ex-presidente da Câmara engrossa as fileiras do PSDB que agora tem a maior bancada de vereadores