Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso afirmou, em entrevista ao programa Roda Viva (TV Cultura), na noite de segunda-feira (15), que o presidente Jair Bolsonaro nao sera “protegido” nem “perseguido”.

O Tribunal julga o pedido de cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, por supostos disparos em massa de mensagens falsas no segundo turno das eleições.

Mais cedo, também na segunda, o presidente da República havia dito, em entrevista à Band News, que o julgamento do TSE “começa a esticar a corda” e “começa a alimentar uma crise”. Questionado no Roda Viva sobre sobre a declaração, Barroso respondeu:

“Acho que as Forças Armadas, nesses 32 anos de democracia, têm tido comportamento exemplar, de modo que eu, verdadeiramente, não temo golpe. Onde eu estiver nesta vida, se faz a coisa certa. De modo que, no Tribunal Superior Eleitoral, não há nenhum risco de o presidente ser perseguido nem há nenhum risco de ele ser protegido. Nós faremos o que é certo dentro do direito. Somos atores institucionais, não atores políticos. O que tiver que ser feito, vai ser feito.”

Barroso afirmou, sem identificar nomes, que um membro do governo perguntou se Bolsonaro deveria se preocupar o julgamento no TSE. “Eu disse: só se tiver feito alguma coisa errada”. Com informações do portal G1.