Tecnologia de reconhecimento facial tornou-se uma ferramenta essencial em Moscou para evitar a propagação do coronavírus
A capital russa Moscou possui um posicionamento rígido em relação ao cumprimento da quarentena pela prevenção do coronavírus. Na cidade, a tecnologia de reconhecimento facial tornou-se uma ferramenta essencial nesta estratégia.

Veja também:
Cibercriminosos suspendem ataque com ransomware a hospitais devido ao coronavírus
EUA liberam transfusão de anticorpos para conter o coronavírus
Câmeras térmicas podem detectar mil casos de Covid-19 por hora

Desde fevereiro, quando foram submetidos a um regime estrito de confinamento por 14 dias, milhares de moscovitas têm sido monitorados por cerca de 100 mil câmeras conectadas a sistemas de inteligência artificial capazes de identificar as pessoas filmadas. Desde então, a polícia de Moscou identificou quase 200 pessoas que violaram a restrição.

“O respeito a esse regime é monitorado permanentemente, principalmente por meio do sistema de reconhecimento facial”, alertou o prefeito de Moscou, Serguei Sobianin, em seu blog. Qualquer violação do regime de isolamento pode custar uma multa ou prisão, e até expulsão do país no caso de estrangeiros.

Reprodução

Todos foram catalogados com seus endereços, números de passaporte e de telefone em um banco de dados da capital, com 16 milhões de habitantes e visitantes diários.

Além da rede de câmeras, o país também recorre a outras tecnologias para combater o coronavírus, desde a telemedicina à vigilância dos supermercados e das redes sociais.

Via: UOL