Quarta-feira marca estreia de potiguares nos Jogos Paralímpicos de Tóquio




Já vai ser quinta-feira do outro lado do mundo quando aqui no RN, será dada a largada na torcida potiguar pelos paratletas nos Jogos de Tóquio. Três atletas, em três modalidades diferentes, começam a corrida pelo pódio nas paralimpíadas.

Joana Neves, 34 anos de idade e veterana das piscinas, busca a quinta medalha em sua terceira participação nos Jogos. “Foram três pódios no Rio 2016, e um em Londres 2012. Em Tóquio vou dar meu melhor para tentar aumentar minha coleção”, garante Joana. A natação é a segunda modalidade com mais representantes brasileiros nos Jogos, ficando atrás apenas do atletismo.

Ainda na noite desta quarta – manhã de quinta no Japão, Júnior França estreia no halterofilismo e nos Jogos. Apesar do cansaço da viagem, diz que já está recuperado e pronto pra disputa: “Levamos mais de 35 horas entre a saída do Brasil e a chegada à cidade onde fizemos a aclimatação no país. Estou muito feliz e entusiasmado com minha primeira participação em Paralimpíada”. O natalense de 25 anos viajou acompanhado do técnico. Carlos Williams, também potiguar, foi convocado como técnico da seleção brasileira para os Jogos.

Outra estreia será de Ana Raquel Montenegro, que participa pela segunda vez dos Jogos. Em 2016, foi no Triathlon, em 2021, no Paraciclismo. Ana Raquel tem 30 anos e vai participar de provas de pista e estrada. O paraciclismo será disputado no Izu Velódromo, em Shizuoka, construído em 1964 para a disputa da primeira Paralimpíada no Japão, e que foi totalmente reestruturado para essa edição.

*PERFIL DOS ATLETAS (Fonte: CPB)*

*JOANA MARIA JACIARA DA SILVA NEVES EUZEBIO*
Nascimento: 14/02/1987, Natal (RN)
Classe: S5
História: Joana tem nanismo. Começou a praticar natação aos 10 anos por recomendação médica e, aos 13, passou a competir. Já aos 14, participou da primeira competição internacional. Principais conquistas: Prata nos 50m borboleta e bronze nos 50m livre no Mundial de Londres 2019; ouro nos 50m livre, 100m livre, 50m borboleta e nos 200m livre, prata nos 200m medley e bronze no revezamento 4x100m livre nos Jogos Parapan-Americanos Lima 2019; prata nos 50m livre no Mundial do México, em 2017; duas medalhas de prata e uma de bronze nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; cinco medalhas de ouro nos Jogos Parapan-Americanos Toronto 2015; dois ouros e um bronze no Mundial de Glasgow 2015; três bronzes no Mundial de Montreal 2013; um bronze nos Jogos Paralímpicos Londres 2012; quatro ouros nos Jogos Parapan-Americanos Guadalajara 2011; uma prata e um bronze no Mundial da Holanda 2010.

*JOÃO MARIA DE FRANÇA JUNIOR*
Nascimento: 20/10/1995, Natal (RN)
Peso: 49kg
Categoria: Até 49kg
História: Nasceu com artrogripose, deficiência que comprometeu o movimento de suas pernas. Antes de ser halterofilista, praticou atletismo e basquete em cadeira de rodas. Começou no halterofilismo timidamente e em 2015 passou a se dedicar a modalidade. Principais conquistas: Prata por equipes na etapa de Tbilisi da Copa do Mundo 2021; prata na Copa do Mundo da Hungria, em 2017. Ouro nos Jogos ParapanAmericanos de Lima, em 2019;

*ANA RAQUEL MONTENEGRO BATISTA LINS*
Nascimento: 11/03/1991, Natal (RN)
Classe: C5
História: Ana Raquel nasceu com síndrome de Poland, deformidade rara que afetou sua região torácica, seu braço, mão e região abdominal esquerda. Ela começou na natação e migrou para o triatlo em 2014. Participou dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 pela modalidade e no ano seguinte, focou no paraciclismo.