Senado Garibaldi Filho vence corrida para o Senado com 18% das intenções de voto

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. Em discurso, à tribuna, senador Garibaldi Alves Filho (MDB-RN). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado


O instituto Perfil pesquisou a intenção de voto para o Senado, com o ex-senador Garibaldi Alves Filho liderando a corrida com 18,17% das intenções de voto. Em segundo lugar, aparece Carlos Eduardo Alves, com 13%. O ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), vem em terceiro, com 10,50%, seguido pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, com 6,92%. O atual senador pelo PT, Jean Paul Prates, vem em seguida, com 3,33%. O empresário Haroldo Azevedo contabiliza 0,42% das intenções. Brancos e nulos somaram 25,74%, enquanto que indecisos, 21,92%. O instituto Perfil sondou um segundo cenário para o Senado, sem Jean Paul e Haroldo Azevedo. Neste, Garibaldi também lidera, com 23,92% das intenções. Fábio aparece em segundo, com 13,58% e Rogério em terceiro, com 9,42%. Brancos e nulos somaram 30,08% e indecisos, 23%. Um terceiro cenário para o Senado, sem Garibaldi, Jean Paul e Haroldo, resultou com liderança de Carlos Eduardo, com 18,92%, seguido por Fábio Faria (14,42%) e Rogério Marinho (9,17%). Brancos e nulos 31,49% e indecisos, 26%. No quesito rejeição para o Senado, a maior rejeição é de Fábio Faria (7,75%), seguido por Rogério Marinho (5,67%), Garibaldi Filho (5,08%), Jean Paul Prates (4,92%), Carlos Eduardo (2,92%) e Haroldo Azevedo (2,67%). Não souberam responder 26,66%, rejeitam todos 23,33% e não rejeita nenhum 21%. Na pesquisa espontânea para o Senado, Garibaldi lidera com 2,33%. Ele é seguido por Styvenson (1,58%), Zenaide Maia (1,25%), Carlos Eduardo (0,83%), Rogério Marinho (0,75%), José Agripino (0,50%), Geraldo Melo (0,42%), Jean Paul Prates (0,42%), Fábio Faria (0,33%) e Fernando Mineiro (0,17%). A pesquisa do instituto Perfil foi realizada nos dias 3 a 6 de agosto, com 1200 entrevistados, em todas as regiões do Rio Grande do Norte. A margem de erro da pesquisa é de 2,82% para mais ou para menos e o intervalor de confiança é de 95%.