Seridó busca se consolidar como maior polo têxtil do RN



Os desafios e estratégias para consolidar a Região Seridó como o principal centro produtivo de moda e artigos têxteis do Rio Grande do Norte (RN) foram abordados nesta sexta-feira (22), durante seminário Rota das Águas. Promovido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte (RN), o evento reuniu, em Caicó (RN), instituições governamentais e empresários do segmento para traçar ações e estabelecer novos modelos de negócios que considerem sustentabilidade, empreendedorismo, responsabilidade social e transformação digital como ferramentas para alavancar a produtividade e consolidar a região como o maior polo dessa atividade no estado.

A ação teve como foco unir ações para estimular o desenvolvimento econômico, urbano e regional por meio da melhoria do ambiente de negócios e implementação de políticas públicas com foco em sustentabilidade e inovação.

O Sebrae que já tem um trabalho de modo autoral importante na fomentação deste trabalho ganhou a parceria importante do Ministério do Desenvolvimento Regional que assinou recentemente um acordo de cooperação técnica para a implementação de ações em desenvolvimento urbano e regional, além do fortalecimento de cadeias produtivas e das Rotas de Integração Nacional.

De acordo o superintendente do Sebrae/RN, José Ferreira de Melo Neto o evento consolida o polo têxtil de confecções da região onde já é trabalhado ações, mas que ganhará um player maior com essas ações do Governo Federal.

Rotas de Integração Nacional.

As Rotas de Integração Nacional são redes de arranjos produtivos locais associadas a cadeias produtivas estratégicas capazes de promover a inclusão produtiva e o desenvolvimento sustentável das regiões brasileiras priorizadas pela Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).

As rotas promovem a coordenação de ações públicas e privadas em polos selecionados, mediante o compartilhamento de informações e o aproveitamento de sinergias coletivas a fim de propiciar a inovação, a diferenciação, a competitividade e a sustentabilidade dos empreendimentos associados, contribuindo, assim, para a inclusão produtiva e o desenvolvimento regional.

Palestras

Dentro da programação os participantes puderam contar com uma importante palestra ministrada pelo consultor do Sebrae Bruno Félix. Ele abordou as Transformações e o Mundo Digital no mundo da Moda que foram potencializadas com a chegada da pandemia, onde os empreendedores tiveram que se reinventar para poder acompanhar as novas transformações dentro do contexto do “novo normal”.

Para Bruno, realizar um planejamento das ações e poder garantir agilidade e qualidade de atendimento, é um dos requisitos principais dentro deste contexto. “Não basta apenas postar uma arte nas redes sociais. É necessário entender todo o processo de Comunicação e ser também criativo. Não podemos esperar só as datas específicas para vender o produto”, disse.

O empresário Pedro Figueiredo entende perfeitamente o olhar do consultor Bruno. Ele foi um dos cases de sucesso abordados durante o Seminário. Empresário da Marca De Pedro, ele contou para o público presente no evento que a sua empresa nasceu das redes sociais.

A empresa que é genuinamente seridoense, trabalha diretamente com 250 artesãs que colocam no seu oficio o amor e a dedicação seja no crochê, bordado ou qualquer outro produto que trás consigo a identidade de cada lugar. Mas não basta apenas fazer, a empresa também capacita as artesãs e principalmente tem responsabilidade social.

“Quando o consumidor recebe um produto, ele vem com um QR Code e ao abri-lo vem um vídeo de quem produziu a peça, produzindo um impacto social importantíssimo e enaltecendo o trabalho de cada artesã que está conosco”.

Mesa Redonda