Margaret Harris, porta-voz da OMS (Organização Mundial da Saúde), declarou na manhã desta sexta-feira (5), em Genebra, que a situação no Brasil e na América do Sul é “profundamente, profundamente preocupante”, informa o colunista Jamil Chade, do portal UOL.

Segundo a publicação, diante da estatística que sombria de registrar uma morte a cada minuto, a entidade faz um apelo aos governos da região, que se tornou o epicentro da pandemia do coronavírus: “Encontrem o vírus”.

O Brasil é hoje o terceiro país com maior número de mortes e segundo em termos de casos. Considerando apenas os últimos sete dias, o país lidera o ranking mundial, segundo os dados da própria OMS.

A OMS, porém, alerta que só haverá um controle da doença se governos conseguirem saber onde está o vírus. Para isso, porém, testes serão necessários. No caso brasileiro, o número de testes é considerado baixo.

“Testem, rastreiem”, insistiu. “Encontrem a todos que tem potencialmente o vírus”, afirmou Harris. Segundo ela, em locais com intensa transmissão, uma opção para governos é a de realizar testes direcionados, com a população que poderia ser mais afetada e nas áreas onde o vírus poderia se mover mais rapidamente.

“Testar é crucial. Saber onde o vírus está e que tem potencialmente a possibilidade de ser afetado é a forma de parar a transmissão”, disse.