Sou o único chefe de estado acusado de genocídio”, diz Bolsonaro a diretor da OMS


Em sua conversa com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que é o único “chefe de Estado acusado de genocida”. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (foto), riu do comentário de seu chefe e afirmou em seguida:

“Eu também. Vou com ele para Haia, passear lá em Haia.”

A CPI da Covid pretende entregar o relatório final para o Tribunal Penal Internacional, sediado em Haia, na Holanda. O objetivo é enquadrar o presidente e outros acusados por crimes contra a humanidade.

Bolsonaro e Queiroga estão em Roma para participar da reunião da cúpula do G20, grupo que reúne os países mais ricos do mundo.

O Antagonista

Fonte: Portal Grande Ponto