in

TCU diz que Secom, sob o comando de Fábio Faria, é usada para “promoção pessoal” de Bolsonaro


Em uma postagem de 1º de setembro na conta oficial da Secom (Secretaria Especial de Comunicação) do governo federal no Twitter, uma foto de Jair Bolsonaro (sem partido) está abaixo do anúncio, em letras garrafais, “Auxílio emergencial prorrogado”. Em outra, ele está com a mão sobre o peito ao lado de uma declaração a respeito de “Deus, pátria e família”. Numa terceira, o presidente aparece dizendo que “eu sou igual a vocês, ou estou à frente e junto ou não estou fazendo um bom papel”.

A área técnica do TCU (Tribunal de Contas da União) identificou “promoção pessoal” de Bolsonaro nestas e em diversas postagens feitas pela Secom em sua conta oficial na rede social ao longo de três meses de 2020. De acordo com os técnicos, a prática é proibida pelo artigo 37 da Constituição. Responsável pela comunicação oficial da Presidência, a Secom desde junho está vinculada ao Ministério das Comunicações, cuja pasta é ocupada pelo Potiguar Fábio Faria.

O Essencial

Justiça: Família de influenciadora que morreu após lipo irá processar cirurgião

Vereador Hermes Câmara defende melhorias da mobilidade urbana em Natal