Robinson Faria vive seu momento mais difícil: foi denunciado pela PGR por suspeita de obstrução de Justiça no âmbito da Operação Dama de Espadas – Reprodução/Folha de S. Paulo
Folha de S. Paulo – Com o governador investigado e o seu principal adversário atrás das grades, o Rio Grande o Norte vive um cenário de “terra arrasada” para as eleições de 2018. Se há três anos Robinson Faria (PSD) e Henrique Eduardo Alves (PMDB) duelavam em uma das disputas mais acirradas do país, hoje ambos enfrentam reveses que devem mudar completamente o quadro eleitoral no Estado, tradicionalmente dominado por quatro clãs: os Alves, os Maia, os Rosado e os Faria.
Eleito em 2014, Robinson Faria vive seu momento mais difícil: foi denunciado pela Procuradoria Geral da República por suspeita de obstrução de Justiça no âmbito da Operação Dama de Espadas, que investigou fraudes na Assembleia Legislativa.
No campo administrativo, enfrenta uma grave crise financeira que resultou em atrasos no pagamento aos servidores – os salários de setembro terminarão de ser pagos apenas em novembro. “A questão eleitoral se tornou acessória diante das adversidades da crise que o governo enfrenta”, diz o vice-governador Fábio Dantas (PC do B).
CLIQUE AQUI e leia a matéria na íntegra.
O ex-ministro Henrique Eduardo Alves é preso em junho – Frankie Marcone/Futura Press/Folhapress
*A matéria foi publicada neste sábado (4), pela Folha de S. Paulo.