Tribunal suíço recusa pedido da Fifa para reduzir pena de Paolo Guerrero

Paolo Guerrero sofreu nova derrota nos tribunais em sua tentativa de voltar aos gramados antes do fim de sua pena por doping, em abril de 2019. O Tribunal Federal da Suíça divulgou nesta sexta-feira que rejeitou um recurso da Fifa contra a sentença do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) que determinou 14 meses de suspensão para o atacante peruano.

A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo e confirmada pelo GloboEsporte.com. Conforme a decisão da Justiça da Suíça, datada de 16 de novembro, a entidade máxima do futebol pretendia, assim como os advogados do jogador, pedir a redução de pena do atacante.

Em dezembro passado, o Tribunal de Apelações da Fifa reduziu de um ano para seis meses a suspesão de Guerrero, após acatar parcialmente recurso da defesa do atacante. A decisão, porém, foi modificada pelo TAS, que aumentou a pena do atacante para 14 meses.

O Tribunal Federal da Suíça considerou que a Fifa não é parte interessada no caso, que diz respeito apenas ao jogador e ao TAS. E que entidade não demonstrou como a suspensão ao jogador, considerada desproporcional, lhe causaria qualquer prejuízo.

De acordo com os advogados de Paolo Guerrero no Peru, mesmo com a negativa ao pedido da Fifa, o recurso do atacante segue seu trâmite normal dentro do tribunal, com expectativa de ser analisado nas próximas semanas.

A defesa de Guerrero pede a nulidade da decisão do TAS, sob a alegação de que o hotel onde o jogador teria ingerido um chá contaminado que gerou o exame positivo para um metabólito de cocaína forneceu informações falsas à Agência Mundial Antidoping (Wada).