VÍDEO: Bolsonaro discute com humorista após pergunta e encerra entrevista; assista


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discutiu nesta quarta-feira (27/10) com o humorista André Marinho, filho do empresário e ex-aliado de Bolsonaro Paulo Marinho, durante participação ao vivo no programa Pânico, da Jovem Pan. (assista ao vídeo acima).

Ao fazer sua pergunta, André Marinho citou preocupação com o retorno do PT ao poder e indagou ao presidente se “rachador” tem que ir para a cadeia ou não. Bolsonaro respondeu:

“Ô Marinho, você sabe que eu sou presidente da República, eu respondo sobre meus atos, tá ok? Então, não vou aceitar provocação tua. E você recolha-se aí ao teu jornalismo. Não vou aceitar, senão encerro a entrevista agora. Não vou aceitar. O teu pai é o maior interessado na cadeira do Flávio Bolsonaro. Não vou discutir contigo ou acabo a entrevista agora aqui. O teu pai quer a cadeira do Flávio Bolsonaro, eu decidi com o Flávio indicar teu pai para primeiro suplente, em confiança nele. Não tem mais conversa contigo”.

Paulo Marinho foi um dos empresários que investiram na campanha presidencial de Bolsonaro em 2018. Sua mansão no bairro do Jardim Botânico, no Rio, foi transformada em QG da campanha.

Ele rompeu com o presidente em maio de 2020, quando revelou que o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) disse ter recebido informações privilegiadas da Polícia Federal (PF) sobre Fabrício Queiroz, assessor que seria o responsável por operar o esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio.

O empresário é o primeiro suplente de Flávio Bolsonaro no Senado.

Em seguida, André Marinho começou a discutir com o comentarista bolsonarista Adrilles Jorge e disse que o chefe do Executivo só responde perguntas de “bajuladores”. O bate-boca entre Marinho e Adrilles levou o presidente a encerrar a entrevista sem se despedir.

“Você me respeita, rapaz. Bajulador é seu pai que bajulava o presidente e não recebeu ministério. Você se transformou em oposição porque seu pai não recebeu ministério. Cara de pau”, disse Adrilles.

“Meu pai não chora no banheiro”, provocou André Marinho segundos antes de o presidente desligar a conexão. A frase faz referência a uma declaração recente do presidente, que afirmou estar enfrentando muitos percalços durante a gestão e que “chora no banheiro” de casa.

Fonte: Metrópoles